Tóquio tem maior nível desde julho de 2008

A forte ascensão do dólar estimulou investidores estrangeiros a comprarem papéis de exportadores.

11 de abril de 2013 | 07h27

 As ações na Bolsa de Tóquio fecharam em terreno positivo nesta quinta-feira, uma vez que a ascensão do dólar próximo da marca de 100 ienes estimulou investidores estrangeiros a comprarem papéis de exportadores como a Toyota Motor, Fuji Heavy Industries e a Bridgestone. Com isso, o índice Nikkei avançou para o maior nível de fechamento em quatro anos e oito meses. O Nikkei avançou 2%, para 13.549,16 pontos, após uma alta de 0,7% na sessão anterior. O índice fechou na máxima da sessão e atingiu o maior nível desde 24 de julho de 2008. O volume de negociações continuou forte, tendo em vista que mais de 5,1 bilhões de ações trocaram de mãos sob o valor de quase 4,0 trilhões de ienes.

As ações em Tóquio abriram em alta, uma vez que o dólar voltou a subir ante o iene. Além disso, os mercados de ações nos EUA fecharam em terreno positivo na quarta-feira depois da divulgação da ata da reunião de política monetária do Federal Reserve. O documento mostrou que a instituição continua empenhada em apoiar a economia com sua política monetária de relaxamento.

Por volta das 3 horas (em Brasília), horário do fechamento do pregão, o dólar era negociado em torno de 99,67 ienes, enquanto o euro estava em 130,32 ienes."Novos fluxos de investidores estrangeiros continuaram pressionando o mercado para cima", disse Norihiro Fujito, estrategista sênior de investimentos da Mitsubishi UFJ Morgan Stanley Securities.

O volume de negócios e o valor das transações "sugerem que os investidores estrangeiros estão visando ações japonesas de grande capitalização, líquidas e representativas como as da Toyota Motor e a Japan Tobacco", acrescentou.Papéis relacionados ao setor automotor ficaram entre os melhores desempenhos do Nikkei. A Toyota ganhou 5,8%, a Honda Motor avançou 3,1% e Fuji Heavy subiu 7,5%.A fabricante de autopeças Denso ganhou 6,3%, enquanto a fabricante de pneus Bridgestone fechou em alta de 5,6%.

Com o avanço desta quinta-feira, a Bridgestone acumula agora um aumento de 30% desde o final de fevereiro. O crescimento da empresa na quota do mercado global tende a aumentar, visto que o declínio do iene aumenta a competitividade da empresa, disse o analista Masahiro Akita, do Credit Suisse, ressaltando a eficácia da ofensiva de preços da empresa.

Fabricantes de máquinas se beneficiaram de dados anunciados mais cedo que mostraram que as encomendas de máquinas de fevereiro avançaram 7,5% no mês. O resultado foi um pouco mais alto do que o esperado pelos economistas. A Fanuc ganhou 3,6%, enquanto a Komatsu subiu 5,3%. As ações de grandes empresas de setor de energia terminaram em forte alta, com a Tokyo Electric Power avançando 13% e a Kansai Electric Power subindo 6,9%.

Entre os motores individuais, a Sharp adicionou 7,9%. Mais cedo, uma notícia do Nikkei disse que a fabricante de painéis de LCD deve ter gerado pouco mais de 20 bilhões de ienes no lucro operacional do grupo no período de outubro a março, superando a projeção de 13,8 bilhões de ienes.

A operadora de lojas de conveniência Lawson caiu 5,2% depois de anunciar projeções para o ano fiscal atual que ficaram abaixo das expectativas. A administração prevê uma alta de 6,0% no ano em lucro operacional consolidado, para 70,0 bilhões de ienes, abaixo das expectativas de 71,9 bilhões de ienes. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.