Tóquio tem maior nível desde julho de 2008

A forte ascensão do dólar estimulou investidores estrangeiros a comprarem papéis de exportadores.

11 de abril de 2013 | 07h27

 As ações na Bolsa de Tóquio fecharam em terreno positivo nesta quinta-feira, uma vez que a ascensão do dólar próximo da marca de 100 ienes estimulou investidores estrangeiros a comprarem papéis de exportadores como a Toyota Motor, Fuji Heavy Industries e a Bridgestone. Com isso, o índice Nikkei avançou para o maior nível de fechamento em quatro anos e oito meses. O Nikkei avançou 2%, para 13.549,16 pontos, após uma alta de 0,7% na sessão anterior. O índice fechou na máxima da sessão e atingiu o maior nível desde 24 de julho de 2008. O volume de negociações continuou forte, tendo em vista que mais de 5,1 bilhões de ações trocaram de mãos sob o valor de quase 4,0 trilhões de ienes.

As ações em Tóquio abriram em alta, uma vez que o dólar voltou a subir ante o iene. Além disso, os mercados de ações nos EUA fecharam em terreno positivo na quarta-feira depois da divulgação da ata da reunião de política monetária do Federal Reserve. O documento mostrou que a instituição continua empenhada em apoiar a economia com sua política monetária de relaxamento.

Por volta das 3 horas (em Brasília), horário do fechamento do pregão, o dólar era negociado em torno de 99,67 ienes, enquanto o euro estava em 130,32 ienes."Novos fluxos de investidores estrangeiros continuaram pressionando o mercado para cima", disse Norihiro Fujito, estrategista sênior de investimentos da Mitsubishi UFJ Morgan Stanley Securities.

O volume de negócios e o valor das transações "sugerem que os investidores estrangeiros estão visando ações japonesas de grande capitalização, líquidas e representativas como as da Toyota Motor e a Japan Tobacco", acrescentou.Papéis relacionados ao setor automotor ficaram entre os melhores desempenhos do Nikkei. A Toyota ganhou 5,8%, a Honda Motor avançou 3,1% e Fuji Heavy subiu 7,5%.A fabricante de autopeças Denso ganhou 6,3%, enquanto a fabricante de pneus Bridgestone fechou em alta de 5,6%.

Com o avanço desta quinta-feira, a Bridgestone acumula agora um aumento de 30% desde o final de fevereiro. O crescimento da empresa na quota do mercado global tende a aumentar, visto que o declínio do iene aumenta a competitividade da empresa, disse o analista Masahiro Akita, do Credit Suisse, ressaltando a eficácia da ofensiva de preços da empresa.

Fabricantes de máquinas se beneficiaram de dados anunciados mais cedo que mostraram que as encomendas de máquinas de fevereiro avançaram 7,5% no mês. O resultado foi um pouco mais alto do que o esperado pelos economistas. A Fanuc ganhou 3,6%, enquanto a Komatsu subiu 5,3%. As ações de grandes empresas de setor de energia terminaram em forte alta, com a Tokyo Electric Power avançando 13% e a Kansai Electric Power subindo 6,9%.

Entre os motores individuais, a Sharp adicionou 7,9%. Mais cedo, uma notícia do Nikkei disse que a fabricante de painéis de LCD deve ter gerado pouco mais de 20 bilhões de ienes no lucro operacional do grupo no período de outubro a março, superando a projeção de 13,8 bilhões de ienes.

A operadora de lojas de conveniência Lawson caiu 5,2% depois de anunciar projeções para o ano fiscal atual que ficaram abaixo das expectativas. A administração prevê uma alta de 6,0% no ano em lucro operacional consolidado, para 70,0 bilhões de ienes, abaixo das expectativas de 71,9 bilhões de ienes. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.