Tóquio tem quarta queda consecutiva

Desempenho reflete incapacidade do governo em dar explicações a um mercado cada vez mais impaciente sobre como pretende conter a valorização do iene

Hélio Barboza, da Agencia Estado,

25 de agosto de 2010 | 07h07

A Bolsa de Tóquio fechou em queda pela quarta sessão consecutiva, com o índice Nikkei 225 afundando no menor nível em 16 meses, diante da incapacidade do governo em dar explicações a um mercado cada vez mais impaciente sobre como pretende conter a valorização do iene. O índice perdeu 149,75 pontos, ou 1,7%, e fechou aos 8.845,39 pontos, a menor pontuação desde 30 de abril do ano passado, embora tenha se recuperado da mínima intraday de 8.807,41 pontos.

Com grande parte das ações em Tóquio já negociadas abaixo do valor contábil, os investidores inicialmente esperavam que a pressão de baixa ficasse limitada. O compasso de espera se disseminou em meio a várias notícias segundo as quais o Banco do Japão (BOJ, banco central) estaria estudando novas medidas para afrouxar a política monetária.

Mas as vendas se aceleraram à tarde depois que o ministro das Finanças, Yoshihiko Noda, disse aos repórteres não ter recebido do primeiro-ministro Naoto Kan uma orientação específica para deter a alta do iene, numa aguardada reunião entre ambos no horário do almoço. A declaração de Noda, de que seu ministério "tomará a medida apropriada quando necessário", tampouco acalmou o mercado.

"Podemos achar que alguma medida vai sair em breve, mas isso é irrelevante se eles só continuarem as conversas", disse Yoshinori Nagano, estrategista da Daiwa Asset Management. "É muito difícil ver onde estará o piso de curto prazo, já que as vendas vão continuar até que saia alguma coisa." As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.