Totem lança fundo de R$ 1 bilhão para investir em óleo e gás

Além do private equity, a gestora lançou há um mês um fundo multimercado, que já captou R$ 6 milhões

Altamiro Silva Júnior,

26 de março de 2010 | 08h58

A gestora carioca Totem Investimentos está criando um fundo de investimento em participações de R$ 1 bilhão para investir no setor de óleo e gás. A carteira acaba de receber autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e os gestores começaram a procurar investidores para captar os recursos.

 

Fábio Souza da Silva, sócio-diretor da Totem, conta que a ideia de lançar o fundo nasceu no ano passado, por conta das grandes oportunidades de investimento no setor que vieram com o pré-sal. Segundo ele, bastou começar o projeto do fundo, que "um ou dois projetos de óleo e gás" batem na porta da gestora por dia a procura de financiamento.

 

Além dos empresários que procuram a gestora, a Totem fechou um acordo com o Banco do Nordeste para encontrar potenciais projetos que necessitem de financiamento na região. "Ninguém conhece melhor os projetos dos Estados de lá do que o banco." Pelo acordo, o Banco do Nordeste se comprometeu a repassar para o fundo alguns projetos que pleitearem crédito.

 

A Totem delimitou algumas áreas de maior interesse dentro do segmento de óleo e gás. Entre eles estão os campos marginais de extração de petróleo. Segundo Silva, empresas que já extraem óleo desses campos e querem aumentar a produção vão precisar de recursos extras. Outra área de interesse são os navios-plataformas e as termelétricas. "O empréstimo bancário existe, mas o banco quer muitas garantias e nós podemos financiar parte do investimento", disse Silva.

 

O fundo tem prazo de 15 anos, dos quais cinco anos são para prospecção, cinco para investimentos e cinco para o desinvestimento, que pode ser via abertura de capital ou venda da participação a sócio estratégico.

 

Silva acredita que o fundo terá potencial para investir em "cinco ou seis" negócios, que podem ser projetos em fase inicial (Greenfield) ou mais maduros. A participação do fundo em cada um vai ser caso a caso, podendo ser desde um investimento minoritário até a compra do controle.

 

A estratégia da Totem é fazer a captação do fundo em paralelo com a seleção de projetos. Segundo o gestor, fica mais fácil atrair investidores, como fundos de pensão, com alguns investimentos já definidos.

 

A Totem foi criada no ano passado por um grupo de executivos do mercado financeiro. Além do private equity, a gestora lançou há um mês um fundo multimercado, que já captou R$ 6 milhões. "Com os juros historicamente baixos, é preciso buscar maior rentabilidade, principalmente na renda variável", diz o gestor.

Tudo o que sabemos sobre:
fundoTotem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.