UBS rebaixa recomendação para ações da Eletropaulo

O banco de investimentos UBS rebaixou a recomendação para as ações da Eletropaulo de "compra 2" para "reduzir 2", e o preço-alvo para as ações da empresa de R$ 121 para R$ 93. "Numa base ajustada ao risco, nós acreditamos que a cotação atual do papel não ofereça grande potencial de valorização em comparação com outras companhias do setor", informaram em relatório os analistas Eduardo Haiama e Pedro Batista. Na avaliação dos analistas, é preferível o investimento em outras opções dentro do setor de eletricidade, como a AES Tietê, Cesp e Transmissão Paulista. "Depois da revisão de tarifas em 2007, estimamos que o Ebitda (ganho antes de juros, impostos, depreciação e amortização) irá cair para cerca de R$ 1,4 bilhão em 2008, de R$ 2,1 bilhões em 2006", afirma o relatório. "A partir de então, acreditamos que o Ebitda irá expandir marginalmente em termos nominais." A previsão deles é de uma taxa de crescimento média anual composta de 0,9% no período de 2008 a 2020. O retorno recorrente de dividendo, de acordo com o relatório, poderá ficar comprometido pela alavancagem financeira depois da revisão tarifária. A relação dívida líquida/Ebitda poderá superar o nível de 3 vezes se a companhia decidir distribuir totalmente sua posição de caixa atual e adotar um índice de pagamentos de 95%. "Isso levaria a uma alavancagem superior a de seus pares." De maneira, geral, segundo os analistas, a próxima revisão tarifária é o principal evento para a companhia. Ainda há questões relacionadas a despesas com fundos de pensão, taxa de inadimplência e custos operacionais. A melhoria do cenário macroeconômico, com a diminuição das taxas de juros, deve ter um impacto limitado sobre a valorização das ações do grupo, aponta o relatório do UBS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.