UE: acordos fiscais da Apple na Irlanda são ilegais

UE: acordos fiscais da Apple na Irlanda são ilegais

A declaração veio após a abertura de uma investigação formal referente a o emprego

SERGIO CALDAS, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Estadão Conteúdo

30 de setembro de 2014 | 09h34

Reguladores da União Europeia disseram acreditar que acordos fiscais concedidos à Apple pela Irlanda constituem suporte estatal ilegal para a empresa. Os acordos foram assinados com o governo irlandês em 1991 e 2007 e podem ter sido "motivados por considerações referentes ao emprego", afirmou a UE em documento publicado nesta terça-feira.

Segundo levantamento do jornal The Irish Times, cinco das dez maiores empresas na Irlanda são gigantes norte-americanos do setor de tecnologia: Google, Microsoft, Dell, Oracle e Apple. Juntas, essas companhias empregam cerca de 10 mil pessoas. Desse total, 4 mil trabalham na Apple.

A declaração da UE veio após a abertura de uma investigação formal sobre o assunto em junho. Embora o inquérito esteja ainda na fase inicial, a eventual decisão final sobre os acordos fiscais pode levar a Apple a ser condenada a pagar impostos atrasados. Outras empresas sujeitas a punições fiscais na Europa são a Fiat e a Starbucks.

Tudo o que sabemos sobre:
UEAppleIrlandaacordos fiscais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.