Unibanco: Ação de Loja Americana tem preço-alvo ampliado

Estamos atualizando nosso preço-alvo de Lojas Americanas (LASA) de R$60,40/ mil ações para R$98,80/mil ações e mantendo nossa recomendação de compra para as ações da empresa. Este preço-alvo implica potencial de ganho de 25,1% em relação ao preço de fechamento de 13 de janeiro de 2006.Nosso preço-alvo foi calculado com base na metodologia de Fluxo de Caixa Descontado, utilizando um Custo Ponderado Médio de Capital (CPMC) de 13,50% e uma taxa de crescimento na perpetuidade de 5,5%. As principais mudanças em nosso modelo foram: (i) o ajuste da data base da projeção, de junho para dezembro de 2006; (ii) a redução do risco-país, de 425 para 325 pontos; e (iii) a incorporação de um maior crescimento de vendas mesmas lojas; Apesar da forte apreciação das ações da LASA nos últimos meses, alguns pontos importantes respaldam nossa opinião de que as ações da empresa manterão uma tendência de alta.O primeiro ponto é o ritmo acelerado de abertura de lojas da LASA. O modelo de negócios adotado permite a expansão da empresa por todo o País, inclusive nas regiões de crescimento mais rápido. Nos dois últimos anos, LASA superou tanto a nossa previsão como a sua própria meta de abertura de lojas. Em 2005, a empresa contou com aumento de 12,6% em área, com a abertura de 37 lojas, demonstrando mais uma vez que sua meta de abertura de 300 lojas em dez anos é mais que viável; A LASA conta com uma saudável combinação de operações de varejo tradicional e comércio eletrônico que, através da Americanas.com, tem registrado sólidos resultados. Estamos convencidos de que uma parcela expressiva do crescimento de LASA será proveniente das vendas online, acompanhando o aumento de internautas e do número de e-consumidores; Além disso, em um cenário de queda de taxa de juros, o poder de compra dos brasileiros deverá aumentar. Tal fato, aliado à estabilização da economia e a conseqüente oferta de financiamento de mais longo prazo, deve estimular as vendas de bens duráveis. Esse cenário deve beneficiar a LASA, não apenas através do crescimento da Americanas.com, mas também da oferta de bens duráveis nas lojas tradicionais; Neste relatório, fazemos uma análise completa das sinergias decorrentes da fusão entre Brahma e Antarctica, que deu origem à AmBev, e descrevemos o impacto positivo de uma eventual aliança estratégica entre LASA e Globex - a controladora do Ponto Frio. Apesar da criação de valor e das sinergias advindas desta possível tal aliança, devido à sua natureza hipotética, não a incorporamos em nosso modelo de avaliação. Porém, prevemos que a associação certamente aumentaria o valor das duas empresas; Em síntese, continuamos otimistas em relação à história de crescimento e modelo de negócios de LASA e acreditamos que seja uma das melhores, se não uma das poucas alternativas para aproveitar o momento positivo do setor de consumo no Brasil.

Agencia Estado,

17 de janeiro de 2006 | 14h40

Tudo o que sabemos sobre:
palavra do gestor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.