Vale comunica que invasão indígena em Carajás continua

A Companhia Vale do Rio Doce informou hoje que os índios continuam ocupando suas instalações em Carajás (PA). A invasão dos cerca de 200 índios Xikrin, das aldeias Cateté e Djudjêkô, foi iniciada na terça-feira. Segundo a Vale, a produção está paralisada. "As atividades operacionais estão suspensas e os 15 mil funcionários parados. A produção diária de Carajás é de 250 mil toneladas de minério de ferro, que deixam de ser exportados, podendo levar a companhia a adotar medidas jurídicas com relação aos contratos de fornecimento com seus clientes", detalhou a Vale, em comunicado.A mineradora também informou que, na tarde de ontem, os índios foram notificados pela Justiça Federal com um mandado de reintegração de posse, determinando a desocupação da área invadida no dia 17. "A CVRD entende que a Funai é responsável por qualquer negociação com os índios, mas, até o momento, a fundação não teve êxito em convencê-los a desocupar a área. A CVRD reitera que não compactua com tais métodos ilegais e não cederá a chantagens de qualquer espécie. A Mina de Carajás não está localizada em terra indígena", disse a empresa, no comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.