Vale e siderúrgicas pesam e Ibovespa tem nova queda

Índice teve dia volátil e continuou refém do desempenho nos EUA e da falta de atrativos para a compra de papéis

Cláudia Violante, Agência Estado,

10 de junho de 2013 | 18h00

A queda do Ibovespa para o menor nível desde o início de outubro de 2011, no pregão anterior, seria um atrativo natural para a recomposição de preços do mercado acionário doméstico nesta segunda-feira, 10. A Bolsa brasileira, entretanto, seguiu outro caminho. O índice teve um dia volátil e continuou refém do desempenho das Bolsas norte-americanas e da falta de atrativos para a compra de papéis. Vale e siderúrgicas, por causa de dados ruins da China, caíram forte e pesaram sobre o indicador, apesar da alta de OGX e Petrobras.

O Ibovespa terminou o pregão em baixa de 0,59%, aos 51.316,65 pontos, e renovou o menor patamar desde 7 de outubro de 2011 (51.243,62 pontos). Na mínima, registrou 51.160 pontos (-0,89%) e, na máxima, 51.836 pontos (+0,42%). No mês, acumula perda de 4,09% e, no ano, de 15,81%. O giro financeiro totalizou R$ 6,203 bilhões. Os dados são preliminares.

"O recuo na última sexta-feira acabou colocando o índice de força relativa num patamar que mostra uma Bolsa sobrevendida. Isso chama compras. Mesmo assim, a Bovespa teima em não andar", comentou um operador.

Outro profissional comentou que os papéis que subiram nesta sessão tiveram um movimento de recomposição de preços por causa do recuo recente, como OGX e Petrobras. Advertiu, contudo, que a Bolsa continua colada em Wall Street e desmotivada por razões domésticas, "como erros do governo e desempenho da economia".

A mudança da perspectiva do rating norte-americano pela Standard & Poor''s (S&P), de negativa para estável, não chegou a entusiasmar Nova York, que fechou praticamente no zero a zero. O Dow Jones teve desvalorização de 0,06%, aos 15.238,59 pontos, o S&P recuou 0,03%, aos 1.642,81 pontos, e o Nasdaq subiu 0,13%, para 3.473,77 pontos.

No mercado externo, destaque para os dados da China, que penalizaram Vale e siderúrgicas. No fim de semana, Pequim anunciou indicadores que mostram que a atividade econômica chinesa sofre com a fraqueza global.

Vale ON recuou 1,01% e PNA perdeu 1,58%. Gerdau PN caiu 1,88%, Metalúrgica Gerdau PN teve baixa de 1,86%, Usiminas PNA cedeu 1,94% e CSN ON teve queda de 1,63%.

Petrobras perdeu fôlego na reta final da sessão e acabou terminando em +0,62% na ação ON e em +0,21 na PN. O mesmo aconteceu com OGX, que subiu 4,03%, bem menos que os 8,87% na máxima da sessão.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespafechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.