Vale e Varig puxam leve alta da Bovespa

A semana de agenda carregada é de giro fraco na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que opera sem direção. Todas as atenções do mercado estão voltadas para a reunião do Fed (o banco central dos Estados Unidos) que, na próxima quinta-feira, deverá divulgar a nova taxa de juros americana. O volume financeiro de hoje é muito fraco: às 12h42 somava R$ 579 milhões e projetava R$ 1,37 bilhão. No horário acima, o Ibovespa subia 0,10%, aos 34.696 pontos. Por volta do meio-dia, lideravam as altas do dia: Vale PNA, que subia 2,52% e também puxava os giros financeiros, com R$ 90 milhões. Dados oficiais chineses informam que a importações de minério de ferro pela China provenientes do Brasil cresceram 30,2% em maio em comparação com igual mês do ano passado, atingindo 4,852 milhões de toneladas. Foi a maior taxa de crescimento entre os países que mais exportam a commodity para os chineses. A ação ON da Companhia Siderúrgica avançava 2,25%; Sabesp ON + 2%; Gerdau PN + 1,90% e Vale ON + 1,83%. Entre as quedas, Copel PNB -2,30%; Contax ON -2,26%; TIM PN -2,15% e Eletropaulo PN -1,99%. Petrobras PN subia 0,12% e movimentava R$ 66 milhões naquele horário. Arcelor Brasil On tem o terceiro maior giro do dia, com R$ 21,5 milhões e alta de 0,42%. A expectativa pela conclusão da negociação Arcelor Mittal, com a criação de uma gigante da siderurgia mundial leva a um ganho apenas moderado do setor hoje na Bolsa. Na abertura, os papéis tiveram alguma força, mas logo devolveram um pouco das altas. As ações da Varig disparam 61%, após terem acumulado queda de 29% na semana passada. A empresa aguarda para esta segunda-feira manifestação do juiz da Vara de Recuperação de Empresas, Luiz Roberto Ayoub, sobre a oferta da Volo de US$ 500 milhões para adquirir o controle da Varig. A Volo é a mesma companhia que comprou a VariLog.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.