Vale não pretende fazer alterações bruscas na Inco

A Companhia Vale Doce (CVRD) não pretende promover alteração brusca na administração da canadense Inco, que foi incorporada pela mineradora brasileira esta semana. "A Inco tem uma gestão bem estruturada e os três primeiros meses, após adquirirmos a empresa em outubro, foram dedicados basicamente ao levantamento das suas peculiaridades", disse o diretor-executivo de assuntos corporativos da companhia, Tito Martins, em entrevista à Agência Estado. "Esse processo deverá continuar ao longo de 2007", complementou.Martins observou que as duas empresas têm estilos de administração diferentes, com a Inco atuando de forma mais descentralizada, enquanto na Vale houve um movimento de concentração da gestão nos últimos anos "devido ao processo de crescimento acelerado". Para a Vale, a incorporação da Inco deverá facilitar muito o processo de internacionalização da companhia brasileira, até pelo intercâmbio de executivos. A empresa canadense atua em mercados em que a Vale não estava presente, o que poderá ampliar a oportunidade de negócios.Martins disse que a Vale ainda está analisando o nome do executivo que irá comandar a empresa canadense, o que deverá ser anunciado nas próximas semanas. Ele negou que a Vale já tivesse se fixado nos nomes dos executivos Murilo Ferreira e Leonardo Moretson, como chegou a ser veiculado na imprensa. "Os nomes ainda não estão fechados", garantiu. Ele atribuiu a informação ao fato de Ferreira e Moretson estarem participando do grupo que está interagindo mais diretamente com a Inco, juntamente com o diretor de metais não-ferrosos, José Lancaster. "Eu garanto que ainda não está fechado", reiterou.Martins disse que, embora não haja urgência e nem interesse em mudar a administração da Inco, os novos executivos terão de avaliar alguns projetos que já estavam em andamento. Um deles é o projeto de processamento (smelter) na província de Labrador. Ele não quis antecipar, porém, qual a tendência para esse projeto, realçando apenas que "é importante para aquela região". Outro empreendimento relevante é a mina de níquel de Goro, na Nova Caledônia. O projeto já passou por alterações significativas e a decisão final deverá ser anunciada ainda no atual trimestre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.