Vale quer reduzir endividamento para compra de Inco em 3 anos

A Companhia Vale do Rio Doce quer reduzir rapidamente o endividamento contraído para financiar a compra da canadense Inco. "Queremos reduzir a alavancagem o mais rápido possível", afirmou o presidente da Vale, Roger Agnelli. "Talvez em três anos estaremos na situação que estamos atualmente, antes da compra." O grupo brasileiro obteve um empréstimo de mais de US$ 30 bilhões com um sindicato de bancos, mas vai utilizar apenas parte desses recursos (no máximo US$ 18 bilhões) para concluir o negócio.Agnelli lembrou que a empresa tem uma geração de caixa forte que garante uma situação financeira tranqüila para a companhia. O executivo observou ainda que o mercado de minério de ferro - que responde por mais de 80% da receita da companhia - está aquecido. "A China continua crescendo", afirmou. O presidente negou hoje também que o grupo pretende se desfazer de algum ativo da Inco. "Estamos comprando, não vendendo. Todos os bens disponíveis que a Inco tem são muito bons", afirmou. Em entrevista hoje em Toronto, o executivo descartou grandes mudanças na administração da companhia canadense e confirmou o atual presidente, Scott Hand, no cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.