Vale tem queda forte e Bovespa sobe apenas 0,49%

Ibovespa fechou aos 56.186 pontos, após atingir máxima de 56.976 pontos no dia

Claudia Violante, da Agência Estado,

10 de abril de 2013 | 18h20

O julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de ação sobre a tributação de lucros de subsidiárias de empresas brasileiras no exterior movimentou as ações da Vale no pregão desta quarta-feira e acabou por influenciar também o comportamento do Ibovespa. O índice fechou em alta, mas bem menor do que a registrada no melhor momento do dia. Os ganhos, generalizados pela manhã, foram pautados pelo desempenho das Bolsas globais, por sua vez puxados pelos dados divulgados no exterior.

O Ibovespa terminou a sessão com valorização de 0,49%, aos 56.186,56 pontos. Na mínima, operou estável, aos 55.913 pontos e, na máxima, atingiu 56.976 pontos (+1,90%). No mês, acumula perda de 0,29% e, no ano, de 7,82%. O giro financeiro totalizou R$ 9,109 bilhões.

O julgamento da ação no STF, referente à Embraco, acabou pressionando as ações da Vale. No final do dia, saiu a informação de que a decisão sobre esta companhia não valeria para a Vale, mas o estrago havia sido feito. Os papéis ON caíram 3,29% e os PNA, 3,46%. A mineradora conseguiu liminar suspendendo a execução de uma dívida de aproximadamente R$ 30,6 bilhões, conforme valor que consta na petição inicial da empresa. Dessa forma, a mineradora não terá que pagar nada até que o STF julgue o processo que questiona a legalidade da cobrança de IR e da CSLL sobre os lucros obtidos por empresas controladas ou coligadas no exterior.

Petrobrás seguiu o exterior e subiu. A ON avançou 0,89% e a PN teve valorização de 1,49%. Bancos também acompanharam: Bradesco PN, +2,34%, Itaú Unibanco PN, +1,50%, BB ON, +2,14%, e Santander unit, +2,04%.

Os investidores tomaram risco neste pregão, depois de terem conhecimento da balança chinesa, que teve déficit, sinalizando demanda aquecida por matérias-primas. O país teve déficit comercial de US$ 880 milhões em março, depois de um superávit de US$ 15,25 bilhões em fevereiro. A previsão dos economistas era de superávit de US$ 14,7 bilhões no mês passado.

Em Nova York, Dow Jones e S&P renovaram as máximas históricas no fechamento: o primeiro subiu 0,88%, para 14.802,24 pontos, e o segundo teve elevação de 1,22%, aos 1.587,73 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.