Varig antiga quer iniciar operação em 2007

O gestor judicial da Varig antiga, Miguel Dau, afirmou hoje que a companhia pretende iniciar sua operação no início do ano que vem. Segundo o executivo, a idéia é operar cinco aeronaves, que poderiam gerar em torno de 600 empregos. O plano é fazer vôos regulares, não regulares e vôos fretados internacionais. Ele prestou hoje depoimento à CPI da Varig, na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. A companhia antiga, que ainda permanece em recuperação judicial, herdou a concessão da ex-subsidária da Varig, a Nordeste. A empresa deverá usar essa marca (Nordeste) e vai transferir a sede da companhia de Salvador para o Rio.Dau não soube quantificar ou exemplificar as rotas que serão escolhidas pela empresa, mas indicou que nas operações regulares a prioridade deverá ser o mercado doméstico, com vôos concentrados a partir do Rio de Janeiro. O gestor da Varig antiga também informou que pretende atrair investidores para ajudar a reerguer a empresa, mas disse que não conversou com nenhum potencial parceiro. Dau quer ainda contratar uma consultoria para ajudar na elaboração do plano de negócios, mas a escolha não foi definida.O presidente da CPI da Varig, deputado Paulo Ramos (PDT), pretende ouvir no próximo dia 17 o presidente da VarigLog, controladora da Nova Varig, João Luiz Bernes. O presidente da Agência Nacional de Avião Civil (Anac), Milton Zuanazzi, também deverá ser convocado a depor futuramente.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2006 | 13h19

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.