Varig dá passagem de graça e TAM imita coroa britânica

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu lavar as mãos na disputa mais agressiva dos últimos tempos entre as companhias aéreas. Desde segunda-feira, a Varig colocou promotores e promotoras de vendas - vestidas com roupas amarelas bem apertadas - para abordar passageiros das concorrentes nos aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio. As modelos convidam passageiros da ponte aérea a "experimentar nova Varig". Quem aceita ganha a passagem de ida de graça, desde que mostre o bilhete que havia comprado de uma empresa concorrente."Precisávamos reconquistar a confiança do consumidor", diz Luiz André Patrão, diretor de Marketing e Planejamento da Varig. "Não há nada de irregular nesta atitude."A iniciativa despertou a reação imediata dos concorrentes. A TAM chegou a fazer reclamação formal à Anac e à Infraero. A Infraero ainda não se pronunciou sobre a polêmica. Já a Anac diz que não vai interferir em uma disputa de mercado.Esta não é a única iniciativa da Varig tentar levantar vôo depois da crise que a levou ter menos de 5% do mercado de aviação. Na guerra de reconquista, a empresa anunciou ontem que prorrogou por mais um ano a validade das milhas do Programa Smiles acumuladas de 2003 a 30 de setembro de 2006.A TAM também tem adotado medidas mais ousadas de marketing. Para anunciar seus vôos para Londres, a empresa colocou ônibus imitando os modelos de dois andares ingleses e promotores vestidos como os uniformes de guardas da coroa britânica nas ruas de São Paulo e do Rio.Um estudo do Banco Pactual indica que a TAM apresentará os melhores resultados entre as companhias aéreas no terceiro trimestre. A análise baseia-se no nível recorde de 77% de ocupação dos assentos nos vôos da companhia, somado a maiores ganhos no mercado doméstico, justamente por conta da retração da operação da Varig.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.