Veja as dicas da Merrill Lynch

A corretora do banco Merrill Lynch acredita que as ações latino-americanas continuam com valorização atraente, apesar do rali de mais de 40% em dólares nos últimos seis meses. Em relatório, Pedro Martins, estrategista de renda variável para a América Latina, afirma que, combinando-se duas estratégias de investimento (crescimento nos lucros e convergência da valorização entre os emergentes), os setores mais atraentes na região são os de serviços públicos, telecomunicações e gêneros de primeira necessidade do Brasil. "O crescimento nos lucros (mais de 50% em dólares em 2005 e projeção de aumento de 20% em dólares em 2006) é a principal razão por trás do forte desempenho das ações latino-americanas", opina o analista. Segundo ele, os três setores mais atraentes com base na expectativa de crescimento dos lucros são o de serviços públicos e telecomunicações do Brasil e o de telecomunicações do México. Os cinco papéis mais atraentes de acordo com a projeção de crescimento nos lucros, diz Martins, são Brasil Telecom, Eletrobrás, Telemar, Nextel Holdings e Empresas ICA (México). Pelo mesmo critério, o Merrill Lynch recomenda também Copel, CPFL Energia e Pão de Açúcar (do Brasil), América Móvil, Televisa e Corporación GEO (México) e Banco Santander Chile (Chile). Usando o critério de convergência de valorização entre os mercados emergentes, o analista aponta como os setores mais atraentes na América Latina os de serviços públicos, energia, telecomunicação e gêneros de primeira necessidade no Brasil, além dos setores de matérias-primas e financeiro do México. Sob esta estratégia de investimento, o analista comparou o nível projetado de preço/lucro de um setor num país com seus correspondentes em outros mercados emergentes. Na sua lista Focus para a América Latina, o Merrill Lynch incluiu a Companhia Vale do Rio Doce e removeu Caemi, depois do anúncio da incorporação desta pela Vale. A lista é integrada pelos papéis brasileiros do Pão de Açúcar, Copel, CPFL Energia, Klabin, Petrobras ON, Telemar ON, Unibanco e Vale, pelo Santander Chile e pelos mexicanos América Móvil, Cemex, GEO, Grupo México, Modelo e Grupo Televisa. As ações da lista Focus são selecionadas pelo Merrill Lynch com base nas análises de estratégia de investimento e perspectiva econômica atual. O banco costuma manter os papéis por um período de 12 meses nesta lista.

Agencia Estado,

27 de janeiro de 2006 | 07h00

Tudo o que sabemos sobre:
ações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.