Vendas de imóvel usado sobem 36% no Estado de SP

Do total comercializado em janeiro, 55% foram apartamentos e 45% casas

Agência Estado,

23 de abril de 2010 | 16h13

As vendas de imóveis usados no Estado de São Paulo cresceram 36,01% em janeiro em relação a dezembro, totalizando 640 unidades, de acordo com pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 23, pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP), com base em dados de 1.361 imobiliárias. Com isso, o índice de vendas estadual passou de 0,3458 no final do ano passado para 0,4702 em janeiro. Do total comercializado, 55% foram apartamentos e 45% casas.

 

Os imóveis mais vendidos na capital em janeiro, com 57,45% do total de contratos, foram os de valor superior a R$ 200 mil. No interior, os mais vendidos foram as casas e apartamentos de valor entre R$ 141 mil e R$ 160 mil, somando 19,72% dos negócios fechados pelas imobiliárias.

 

Segundo o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, mesmo sendo um mês marcado pelas férias, janeiro tem um ritmo mais intenso de atividade imobiliária, "mas não se trata de uma explosão de vendas e de locação, como sugerem os números que surgem da comparação com dezembro".

 

No mercado de locação os resultados foram ainda mais expressivos. No primeiro mês do ano, o número de imóveis alugados cresceu 103,72% ante dezembro. No período, as imobiliárias consultadas alugaram 2.285 casas e apartamentos. Com o resultado, o índice estadual de locação subiu de 0,8241 em dezembro para 1,6789 em janeiro. O crescimento foi registrado nas quatro regiões pesquisadas, atingindo 293,46% nas cidades do A, B, C, D, Guarulhos e Osasco; 211,25% no Interior; 25,13% no Litoral; e 19,25% na Capital.

 

"Esse salto reflete peculiaridades do mês de janeiro, mas também pode ser um indicativo de que a renda das famílias está crescendo e que será um dos fatores capazes de sustentar a expansão da economia em ritmo quase 'chinês' este ano", acrescenta Viana Neto. As peculiaridades são uma referência ao hábito e à necessidade de muitas famílias, casais e estudantes de mudar de casa em janeiro, aproveitando as férias escolares.

 

A performance é atribuída também ao fato de que dezembro é um mês de baixa atividade imobiliária, em razão das férias escolares, comemoração do Natal e preparativos do Ano Novo. "Daqui para frente, passado o Carnaval, é que começaremos a ter uma tendência mais segura do comportamento do mercado de imóveis usados e de locações residenciais neste ano", diz Viana Neto.

Tudo o que sabemos sobre:
imóveisSPCreciapartamentoscasas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.