Visa anuncia que lançará ações no mercado

Segundo relatório enviado à Comissão Americana da Bolsa de Valores, operação pode chegar a US$ 10 bilhões

EFE

10 de novembro de 2007 | 02h19

A Visa, a maior companhia de cartões de crédito do mundo, anunciou, nesta sexta-feira, sua intenção de lançar ações no mercado americano, em uma operação que poderia chegar a US$ 10 bilhões. Embora a companhia não tenha detalhado o número ou o preço das ações que pretende oferecer para sua estréia na Bolsa, especificou em um relatório à Comissão Americana da Bolsa de Valores (SEC, em inglês) que sua intenção é chegar aos US$ 10 bilhões. Além disso, apontou que os bancos encarregados de tramitar a operação são o JP Morgan, Goldman Sachs, Bank of America, Citigroup HSBC, Merrill Lynch, UBS e Wachovia. Com a documentação apresentada nesta sexta-feira à SEC, que também não inclui informação sobre prazos, a Visa inicia os trâmites necessários para que comece a cotar na Bolsa, uma operação que anunciou em outubro de 2006. O valor das ações de sua grande concorrente, a MasterCard, quase se quintuplicou desde que ela lançou seus títulos, em maio de 2006. O anúncio da Visa acontece em uma jornada de fortes quedas no mercado nova-iorquino, mas também dois dias depois de a companhia anunciar que pagará US$ 2,07 bilhões à American Express para liquidar um conflito judicial sobre concorrência desleal. Os maiores acionistas da Visa são o JP Morgan Chase, com 23,3% de suas ações de classe B, o Bank of America, com 11,5%, e o National City, com 8%. Em outubro, a empresa anunciou que passaria por uma reestruturação internacional, para depois se lançar na Bolsa no final de 2007. Na ocasião, a Visa informou que lançaria no mercado mais de 50% de seu capital, através de uma oferta pública de ações.

Tudo o que sabemos sobre:
VisaaçõesMastercard

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.