Volkswagen lança nova versão do Polo

Um dia depois de ter feito uma proposta para resolver a crise na fábrica de São Bernardo do Campo, a Volkswagen apresentou ontem o novo Polo, em Águas de São Pedro (interior de SP). O carro, nas versões hatch e sedã, substituirá a versão atual, produzida no ABC paulista desde 2002, mas até agora com vendas abaixo da expectativa.O Polo recebeu mudanças estéticas que o deixaram parecido com o europeu, lançado há um ano. Terá como apelo de mercado o preço: a versão hatch (menor) vai custar o mesmo que o modelo antigo, mas ganhou novos opcionais. A versão sedã (com porta-malas maior) vai custar R$ 1.184 menos.O presidente da Volks do Brasil, Hans-Christian Maergner, lembrou que a empresa "está mergulhada num processo de reestruturação no País" que tem como foco o aumento da produtividade. Disse ainda que assumiu o compromisso de recuperar a rentabilidade e preparar a empresa para o futuro.A Volks não tem lucro no Brasil há oito anos. O programa de reestruturação que Maergner espera ser aprovado amanhã na assembléia de trabalhadores do ABC tem como meta a redução de 3.600 funcionários. O processo prevê 6 mil cortes nas três fábricas até 2008.O governador Cláudio Lembo (PFL) disse não acreditar que o programa de demissão voluntária terá adesão. "Com a situação de desemprego, fica difícil." Para ele, o que falta é "uma política mais clara para as montadoras". O governo federal, segundo Lembo, "deu aspirina a um canceroso" com a estratégia de não interferir no caso.MercadoO lançamento do Polo é uma forma de mostrar que a marca continua buscando "entender o mercado e o cliente em seus desejos", disse Maergner. A marca teve até agosto 22,5% de participação no mercado de automóveis e comerciais leves, muito perto da GM, com 22,4%, mas atrás da Fiat, com 25,1%.A versão do Polo lançada em 2002 não deu os resultados esperados, embora tenha consumido R$ 2 bilhões em investimentos na fábrica Anchieta. O gasto para a reestilização não foi divulgado. Em quatro anos, foram produzidas 170 mil unidades, vendidas nos mercados interno e externo. Entre janeiro e agosto, foram vendidas 15.037 unidades, volume considerado baixo. O reposicionamento de preço é "para torná-lo mais agressivo diante da concorrência", disse o diretor de Vendas e Marketing, Paulo Sérgio Kakinoff. Ele prevê que as vendas do carro aumentem de 10% a 20% com o novo modelo.A versão hatch será vendida a partir da próxima semana pelo mesmo preço da atual (R$ 39.987), mas virá com sensor de estacionamento e tilt-down, em que o vidro do retrovisor rebaixa automaticamente quando a marcha à ré é acionada para que o motorista evite que as rodas batam na guia. O sedã vai custar R$ 41.990, ante R$ 43.174 da atual, e também virá com os equipamentos. O motor continua nas versões 1.6 flex e 2.0 a gasolina.As mudanças mais significativas na parte externa são a frente com desenho em forma de V, adotada no Gol, e faróis redondos, mas com um elemento extra trapezoidal que integra as setas. Na parte traseira há alteração nas lanternas.

Agencia Estado,

13 de setembro de 2006 | 08h02

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.