Volkswagen vai demitir até 6 mil no Brasil até 2008

A Volkswagen confirmou ontem que pretende demitir de 4 mil a 6 mil trabalhadores no Brasil até 2008. A montadora anunciou um plano de reestruturação há um mês e meio, mas vinha omitindo o número oficial de cortes previstos. Amanhã, às 8 horas, representantes da empresa e dos sindicatos de metalúrgicos do ABC, Taubaté (SP) e São Carlos (SP) e de São José dos Pinhais (PR) se reúnem para iniciar negociações. A Volks quer concluir as discussões até o dia 30, pois tem pressa em iniciar o programa que inclui ainda corte de 25% no custo produtivo, com redução de benefícios trabalhistas."Está provado que falávamos a verdade", reagiu o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopes Feijóo. Desde o início ele afirmavam, com base em informações da própria empresa, que seriam 5.773 baixas nas fábricas de São Bernardo do Campo, Taubaté e Paraná, 25% do quadro atual. Em maio, o presidente da Volks, Hans-Christian Maergner, chegou a dizer que o sindicato era "irresponsável" em divulgar números. Na reunião de amanhã, Feijóo espera no mínimo negociar a redução de cortes.Em documento entregue ontem, atendendo pedido feito pelos sindicalistas há uma semana, a Volks não descartou corte, ainda que pequeno, também na unidade de motores em São Carlos, antes fora do programa.No texto, a montadora afirma que as medidas de redução do efetivo estão condicionadas a diversos fatores externos e internos e têm por objetivo tornar os negócios do grupo rentáveis no País após oito anos consecutivos de prejuízos."A cooperação das entidades de representação no sentido de firmarem acordo sobre a execução do plano de reestruturação exercerá importante influência na determinação do efetivo de pessoal, considerando que a existência de acordo colocará as unidades em condições de concorrer a novos investimentos", alertou o vice presidente de Recursos Humanos da Volks, Josef-Fidelis Senn.A Volks diz que, no fim deste ano ou início de 2007 as demissões podem atingir 1,8 mil funcionários da Anchieta, 900 do Paraná e 300 de Taubaté.Protesto na GMEm São José dos Campos (SP), onde a General Motors vai demitir 960 trabalhadores até o fim de julho, o sindicato local dos metalúrgicos realiza protestos em frente às revendas da marca na cidade. Os trabalhadores vão distribuir panfletos pedindo apoio da população contra as demissões.À tarde, um grupo de trabalhadores irá à Assembléia Legislativa de São Paulo para audiência com parlamentares também em busca de apoio dos deputados estaduais contra demissões em massa na região, tanto na GM, quanto na Volks.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.