Volume de letra financeira registrado na Cetip chega a R$ 3,46 bi

O volume de letra financeira registrado na Cetip chegou a R$ 3,46 bilhões este mês, até o dia 17, informa comunicado da instituição. O número indica uma "demanda crescente" por esse ativo, segundo a Cetip. Do total registrado na Cetip, R$ 1,11 bilhão são de letras financeiras subordinadas.

Agência Estado,

24 de maio de 2010 | 19h33

O Banco do Brasil foi o primeiro a emitir esse tipo de ativo, com R$ 1 bilhão lançados em abril. Em seguida veio o Santander, com R$ 500 milhões colocados no mercado este mês.

 

A letra financeira foi lançada em dezembro do ano passado e passou a ser chamada no mercado de "debêntures dos bancos", por se assemelhar aos títulos de dívida emitidos por empresas. Em fevereiro, o Conselho Monetário Nacional regulamentou o ativo. O

prazo mínimo do papel é de 2 anos. A aplicação mínima é de R$ 300 mil.

 

A ideia do governo foi criar mais um instrumento de captação para as instituições financeiras. No começo, a letra não despertou interesse das instituições. Mas a emissão do BB, que testou o mercado, abriu espaço para que outros bancos lançassem a nota financeira.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.