Wal-Mart prevê economia de R$ 2,5 mi ao ano com sacolas recicladas

O Wal-Mart pretende utilizar sacolas reprocessadas em todas as 304 lojas que a companhia terá no País até o final deste ano. A companhia informa que vai obter uma economia de cerca de R$ 2,5 milhões anuais com o uso do material reciclado para a embalagem das compras dos clientes. Atualmente, 146 lojas da empresa já utilizam essas sacolas, num projeto iniciado no ano passado. De acordo com o Wal-Mart, as embalagens têm 40% de matéria-prima reaproveitada. Com o reprocessamento dos plásticos, ressalta a empresa, os produtores de sacolas deixam de consumir 1,8 mil toneladas de resina plástica virgem por ano. A varejista consome, anualmente, 1,2 bilhão de sacolas plásticas no Brasil. Segundo simulação do Wal-Mart, o consumo mensal de 100 milhões de sacolas com material não reciclado exigiria o uso de 266 toneladas de resina virgem. Para as sacolas reprocessadas, seriam necessárias 114 toneladas, o equivalente a uma economia de 49,5% da matéria-prima utilizada. Com o consumo de gás, seriam economizados por mês 8,5 mil botijões.Em março de 2005, a rede Pão de Açúcar começou a oferecer embalagens retornáveis como forma de diminuir o consumo dos sacos plásticos. As sacolas eram vendidas a R$ 3,99, à época. Feitas de TNT, trouxeram, na primeira edição, estampas de bichos em extinção. Antes, em agosto de 2004, o Pão de Açúcar também implantou um projeto-piloto de sacolas biodegradáveis na então recém-inaugurada loja Real Park, no bairro do Morumbi, em São Paulo. A previsão era produzir 720 mil embalagens para uso na unidade. A empresa avaliava o uso das sacolas, cujo tempo de decomposição era de três meses e que poderiam também ser recicladas, em outras lojas do grupo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.