Wall Street abre em alta; Wal-Mart e montadoras em foco

As Bolsas de Nova York abriram em alta, com os investidores considerando o bom desempenho das vendas do Wal-Mart no fim de semana como um sinal de que o desempenho do varejo no fim de ano foi melhor do que o esperado. As ações das montadoras, que divulgam suas vendas mensais, também estão no centro das atenções hoje. Às 12h41 (de Brasília), o índice Dow Jones estava em alta de 0,64% e o Nasdaq subia 1,01%. Na sexta-feira da semana passada, último pregão de 2006, o índice Dow Jones fechou em queda de 0,31%, em 12.463 pontos, mas o indicador subiu mais de 16% no ano. O S&P 500 ganhou quase 14% e o Nasdaq avançou 9,5%. Ontem os mercados norte-americanos ficaram fechados em luto pelo falecimento do ex-presidente Gerald Ford. As grandes montadoras norte-americanas devem atrair a atenção em meio à divulgação das vendas, que, acredita-se, mostrarão que a japonesa Toyota está cada vez mais perto de superar a General Motors como líder em vendas. A Ford deverá cair ao quarto lugar, atrás da GM, Toyota e DaimlerChrysler. O Banc of America rebaixou sua recomendação para a GM, de neutra para venda, com base no declínio de market share e esperada queda no volume de vendas de produtos novos da fabricante de veículos. O Wal-Mart, em contrapartida, informou que suas vendas na categoria mesmas lojas (lojas abertas há pelo menos um ano) em dezembro devem crescer 1,6% sobre o mesmo período do ano anterior, bem acima do 1% previsto anteriormente pela empresa. As ações da Wal-Mart estavam em alta de 2% no pré-mercado. As ações da Home Depot subiam 3,7% depois que a empresa informou que seu chairman e executivo-chefe, Robert Nardelli, renunciou. Os papéis da Amazon.com, rebaixados de manter para venda pelo Citigroup, caíam 1,4%. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.