Wall Street assume rota de queda com ações de tecnologia

Os mercados acionários norte-americanos assumem a rota negativa nesse início da semana, com os investidores reagindo às notícias relacionadas à Dell Computer e à Hewlett-Packard e ignorando, por ora, a queda acentuada do petróleo. O pregão começou com um minuto de silêncio em memória dos mortos nos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 nos EUA. Às 12h17 (de Brasília), o Dow Jones cedia 0,34%; o Nasdaq perdia 0,61% e o S&P retrocedia 0,51%. O petróleo para outubro cedia 1,43%, para US$ 65,35 por barril, na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), reagindo a sinais de que o Irã flexibilizou sua posição quanto ao seu programa de enriquecimento de urânio. Um diplomata europeu que acompanhou o encontro do chefe para Relações Exteriores da União Européia, Javier Solana, com Ali Larijani, principal negociador para assuntos nucleares do Irã, disse que o governo de Teerã teria se mostrado disposto a acatar a exigência do Conselho de Segurança a ONU para parar com seu enriquecimento de urânio. Paralelamente, a OPEP decidiu manter suas cotas de produção inalteradas, a despeito de alguns sinais de que poderia cortar a produção. O setor de tecnologia, no entanto, dava subsídios para a cautela. As ações da Dell cediam 4,1%, após a líder mundial em computadores pessoais ter informado que uma investigação anunciada anteriormente sobre suas reservas, acúmulo de patrimônio e outros itens do balanço vai provocar o atraso da divulgação de seus comunicados financeiros referentes ao segundo trimestre deste ano. A empresa informou também que está suspendendo o programa de recompra de ações e adiando uma reunião com analistas marcada para esta quarta-feira. Não foi agendada uma nova data para esse evento. A HP realizou um encontro emergencial de seu conselho no fim de semana para discutir a permanência de sua presidenta Patricia Dunn. A executiva tem sido alvo de críticas sobre seu papel na investigação internacional sobre o suposto uso de métodos ilegais para espionar seus diretores e jornalistas. A HP perdia 0,19%. Paralelamente, a Intel era afetada pela notícia de que a União Européia está investigando se a empresa encorajou a Metro, maior varejista de eletrônicos da Europa, a não vender produtos com chips da sua concorrente AMD. Os papéis da Intel cediam 1,3%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.