Wall Street dá seqüência às perdas; Dow Jones cede 0,25%

Os principais índices referenciais de Wall Street dão continuidade às perdas de sexta-feira, com as preocupações com as condições da economia norte-americana sendo reforçadas pelos números de vendas em outubro da rede de varejo Wal-Mart. A maior varejista dos EUA informou, ontem, que suas vendas cresceram apenas 0,5%, em outubro, no EUA, o menor crescimento dos últimos seis anos. Às 12h27, o índice Dow Jones da Bolsa de Nova York cedia 0,25%, com a ação da Wal-Mart recuando 2,18%. O Nasdaq perdia 0,23%, enquanto o S&P 500 retrocedia 0,19%. O comunicado da Wal-Mart deu subsídio para os analistas mais pessimistas, após a divulgação do crescimento de apenas 1,6% da economia dos EUA no terceiro trimestre. Mas os problemas da Wal-Mart parecem estar associados, principalmente, ao gigantismo sem precedentes da rede varejista. A magnitude de seu tamanho dificultaria à empresa manter os mesmos ganhos percentuais robustos do passado. Além disso, concorrentes, especialmente a Target, têm conseguido superar o desempenho da gigante. A Target previu um crescimento de 3% a 5% de suas vendas em outubro. A Retail Metrics, um grupo consultor do varejo, com sede em Massachusetts, calculou que as 56 varejistas que são monitoradas por seus analistas devem registrar um ganho médio de 3,3% nas vendas em outubro. Excluindo a Wal-Mart, essa média subiria para 4,8%. Mesmo com esses adendos, os investidores seguiam na ponta de venda, repercutindo os dados do PIB do terceiro trimestre. Os dados da manhã, no entanto, foram positivos, com o índice de preços PCE em setembro ajudando a minimizar a pressão sobre o mercado. As ações da Verizon cediam 2,94% e também contribuíam para pressionar o Dow Jones, embora a empresa de telecomunicações tenha anunciado aumento de 2,8% em seu lucro líquido do terceiro trimestre, graças ao fortalecimento de suas operações de telefonia móvel, que compensou os prejuízos registrados na operação de linhas fixas e o baixo crescimento na banda larga. Os papéis de tecnologia eram pressionados por um comentário do Goldman Sachs, segundo o qual a demanda por placas mãe de computadores está caindo em um despenhadeiro. O petróleo para dezembro computava uma queda acentuada de 2,30%, cotado a US$ 59,35 na Nymex. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.