Wall Street mantém ganhos, seguindo demais bolsas

As ações tiveram uma primeira hora de ganhos no pregão das Bolsas de Nova York. Às 11h53, o índice Dow Jones, que abriu em alta, sustentava ganho de 0,77% e o Nasdaq, 0,75%, ambos na máxima do dia até este horário. Wall Street teve uma manhã positiva influenciada pelos ganhos na Ásia e na Europa e pelo noticiário corporativo de fusões e aquisições, incluindo uma possível aquisição do grupo holandês ABN Amro pelo grupo britânico Barclays. A informação, publicada na imprensa estrangeira, levou o Barclays a anunciar que divulgará nota amanhã pela manhã para esclarecer o assunto. As ações do ABN Amro dispararam mais de 9%, puxando o setor bancário europeu em alta. Ainda na Europa, a companhia alemã de turismo Tui anunciou que irá unir suas operações de turismo com a britânica First Choice Holidays, sustentando as bolsas. Nos EUA, o noticiário de fusões e aquisições era alimentado também pelas informações da Hércules Offshore, do setor petrolífero, de que concordou ser adquirida pelo grupo Todco, por US$ 2,3 bilhões à vista e em ações. As ações da Todco subiram mais de 18%. No segmento de saúde, a Community Health Systems disse estar próxima de concluir a compra da Triad Hospitals. Já a ServiceMaster, que trata de gramados e faz controle de pestes, anunciou que passará a ser uma empresa privada após sua aquisição por US$ 5,5 bilhões por um grupo de investidores. Alguns operadores no mercado atribuem o entusiasmo em Wall Street à inversão das perdas de sexta-feira, alertando para a perspectiva da reunião do banco central americano (Fed) esta semana. Os investidores receberam bem a decisão da China de elevar as taxas de juro no sábado, considerada atitude positiva no combate à inflação. Ainda no noticiário corporativo, as ações da Nortel caíram 4%, em reação ao anúncio no final da sexta-feira de que suas receitas ficarão estáveis ou levemente abaixo do nível de 2006, em conseqüência da venda de uma de suas operações para a Alcatel-Nortel. Os papéis da farmacêutica AstraZeneca cederam 1%, com anúncio de que não obteve sucesso na fase três de testes com um de seus novos medicamentos para tratamento de arteriosclerose. Os papéis da Walt Disney subiram 1,3%, em reação ao anúncio na sexta-feira de que concluiu investigação sobre práticas duvidosas relacionadas à distribuição de opções de ações na Pixar, antes de adquiri-la. A Disney concluiu que as opções foram datadas com erro, com data antecipada, mas que nenhum dos envolvidos continuam trabalhando na Pixar. As ações da DaimlerChrysler subiram 2%, com a elevação de sua recomendação para neutra de venda pela Goldman Sachs. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.