Wall Street praticamente não reage a dado de imóveis

Os ativos praticamente não reagiram à informação de queda superior ao esperado no número de vendas de imóveis novos nos EUA durante julho. As Bolsas de Nova York, os títulos do Tesouro e dólar ensaiaram reação, mas não houve continuidade no movimento. As vendas de casas novas caíram 4,3% em julho, superando a queda de 2,7% prevista pelos economistas. No entanto, apesar da queda de 4,3%, a média anual de imóveis vendidos em julho caiu para nível, de 1,072 milhão, bem próximo ao previsto, 1,1 milhão, por causa de revisão do nível de junho. As vendas em junho foram revisadas de queda de 3%, para 1,131 milhão, para retração de 0,9%, a 1,120 milhão. Por outro lado, o relatório mostra queda de 21,6% nas vendas de imóveis novos em comparação a julho do ano passado. Às 11h33 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,05%; o Nasdaq subia 0,04% e o S&P 500 avançava 0,23%. O juro do título de 10 anos caía 0,23% para 4,7962%. O dólar caía para 116,35 ienes e o euro subia para US$ 1,2810. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.