Wall Street se recupera apesar do temor dos juros

A apreensão sobre até que nível a taxa de juros terá que ir nos EUA para fechar as carteiras dos consumidores pesa sobre os investidores no mercado acionário norte-americano, mas os índices operam em alta nesse horário de almoço. O Dow Jones sobe 0,25% e o Nasdaq, 0,56%, ás 12h05. Os dados foram positivos sobre o consumo, que responde por dois terços da economia norte-americana, mas podem dar margem a uma ação mais agressiva na condução da política monetária nos EUA. Na reação aos dados, o juro projetado pelos títulos do Tesouro dos EUA (Treasuries) subiu com força, com o juro do papel de 10 anos acomodando-se acima de 5%. Mesmo antes do dado, o juro já tinha superado os 5%, rompendo um nível psicológico que não era visto há quatro anos. Às 12h, o juro da T-Note de 10 anos estava em 5,0249%. As vendas do varejo cresceram 0,6% em março, acima da alta de 0,4% prevista. O crescimento veio na esteira de uma revisão apontando queda menor das vendas em fevereiro. Além desse dado divulgado pelo Departamento do Comércio do governo dos EUA, a Universidade de Michigan informou que o sentimento dos consumidores continuou firme em meados de abril, com o índice preliminar de confiança subindo de 88,9, para 89,2, acima do patamar previsto de 89. O cenário fica ainda melhor diante do fato de que as pressões inflacionárias seguem controladas. Os preços das mercadorias importadas pelos EUA caíram 0,4% em março, ante a previsão de alta de 0,1%. Mas alguns fatores atenuavam a ansiedade provocada pela alta do juro dos Treasuries. O petróleo para maio cedia 0,64%, para US$ 68,18 por barril, na Nymex. No entanto, os preços do petróleo seguiam em níveis elevados, conspirando para enervar os investidores em ações. O balanço da General Electric confirmou as expectativas do mercado, mas as ações do conglomerado industrial cediam 1%. O lucro da empresa no primeiro trimestre cresceu 8,6%, para US$ 0,41 por ação, enquanto o faturamento cresceu 10%, para US$ 37,8 bilhões. A GE reafirmou suas projeções de lucro para o ano. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.