Wall Street supera apreensão e Bolsas operam em alta

As Bolsas de Nova York operavam em alta às 12h25. O índice Dow Jones subia 0,21% e o Nasdaq, 0,18%, resistindo à preocupação sobre o terrorismo após a descoberta de um plano para explodir aviões que fazem a rota do Reino Unido com os EUA. "O plano foi desmantelado e isso é um grande construtor de confiança", comentou o estrategista chefe de investimentos da Fifth Third Asset Management, John Augustine. Na Bolsa de Valores de São Paulo, o índice Ibovespa se mantém em baixa, de 0,20%. A reação inicial do mercado à notícia sobre a descoberta do plano, no entanto, foi de nervosismo. Os índices futuros de Nova York caíram, assim como os índices referenciais dos mercados europeus. As bolsas européias ainda estão em baixa, mas recuperaram-se das mínimas. Londres caía 0,52%; Paris, -0,87% e Frankfurt, -1,14%. "Isso deve respaldar a tendência de os investidores se manterem cautelosos em relação às ações por causa dos eventos geopolíticos", ponderou Augustine. As ações das companhias aéreas eram afetadas por vendas mais pesadas, temendo uma queda da demanda por viagens. A AMR, controladora da American Airlines, cedia 2,9%. As ações das empresas hoteleiras também cediam, como era o caso da Hilton Hotels, com tombo de 3%. As ações das companhias petrolíferas mostravam desempenhos divergentes, reagindo à queda do petróleo, em razão da previsão de diminuição da demanda. Na outra ponta, empresas de equipamentos de segurança recebiam compras fortes. A American Science & Engineering, fabricante de produtos de inspeção por raio-X, disparava 13,5%. Com informações da Dow Jones.

Agencia Estado,

10 de agosto de 2006 | 12h31

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.