Xangai Composto sobe com expectativa de alta de bancos

O índice Xangai Composto da Bolsa da China fechou em leve alta, sustentada pelas expectativas de crescimento dos ganhos das ações de bancos. O índice subiu 0,6% e fechou em 3.743,96 pontos - foi o 15º pregão de recorde no mês. Já o índice Shenzhen Composto teve baixa de 0,4%, para 1.042,66 pontos, devido a uma forte queda no setor de mineração. Um comunicado do Citigroup, de que a taxa de juros chinesa irá ?provavelmente subir? no curto prazo, em virtude do robusto crescimento da economia local e das preocupações com a alta da inflação, valorizou os papéis de bancos, que haviam apresentado perdas recentes. Após cair 1,1% na terça-feira, Bank of China subiu 3%. Banco Industrial e Comercial da China (ICBC, na sigla em inglês) ganhou 2,6%. Analistas atribuem esta alta às notícias de rendimentos positivos do China Minsheng Banking Corp., que informou no fim do dia anterior que seu lucro líquido no primeiro trimestre foi 47% maior em relação ao mesmo período do ano anterior. As ações do Minsheng Bank subiram 6,8%. Já as ações de mineradoras fecharam em baixa por conta da queda do preço dos metais nos mercados globais. Jiangxi Copper caiu 3,7%. Yunnan Copper perdeu 4,2%. No final do pregão, o yuan registrou alta em relação ao dólar, incentivado pela maior alta do euro contra a moeda norte-americana em dois anos. Participantes do mercado acreditam que a potencial alta das taxas de juros, antes ou depois do longo feriado do Dia do Trabalho, pode elevar o yuan ainda mais em relação ao dólar. No sistema automático de preços, às 5h44 (de Brasília), a cotação de compra e venda era de 7,7187/7,7191 yuans, abaixo da última cotação de terça-feira, que foi de 7,7264/7,7267 yuans. Preocupações com a possibilidade de mais medidas de aperto monetário de Pequim e números de vendas internas pouco inspiradores dos EUA fizeram a Bolsa de Hong Kong fechar em baixa. O índice Hang Seng caiu 36,02 pontos, ou 0,2%, e fechou em 20.536,78 pontos, após variar entre a mínima de 20.417,59 pontos e a máxima de 20.621,68 pontos. HSBC caiu 0,1%, enquanto China Mobile fechou em baixa de 0,5%. Sun Hung Kai Properties perdeu 0,4%. Bank of East Asia fechou estável, após cair mais de 2% no início do pregão. A maioria das ações de empresas financeiras chinesas caiu diante da iminente alta da taxa de juros local. China Construction Bank perdeu 0,4%. Banco Industrial e Comercial da China (ICBC, na sigla em inglês) caiu 0,5%, enquanto China Life declinou 0,2%. Lifestyle International fechou em alta de 5,5%, após a companhia informar que está comprando quatro lojas de departamento na China. Em Taiwan, o mercado encerrou o dia em queda, em um pregão de baixo volume financeiro. O índice Taiwan Weighted da Bolsa de Taipé caiu 0,8%, e fechou em 7.984,65 pontos, seguindo o fraco desempenho das demais bolsas asiáticas, disse Michael Lin, da Fubon Securities. Ele acredita, porém, em uma certa limitação dessa tendência de queda, já que os investidores acreditam que o feriado de uma semana - a partir do dia 1º de maio - na China vá beneficiar os papéis de empresas com grande exposição chinesa. As perdas do dia foram lideradas por têxteis (baixa de 2,1%) e aço (-2%), ocasionadas por realização de lucros, na medida em que os fundos giram entre setores relacionados com a economia chinesa. AU Optronics fechou estável depois de ter divulgado recorde de perdas no primeiro trimestre, resultado já esperado pelo mercado. O mercado sul-coreano encerrou os negócios em queda, liderada por ações de empresas do setor naval, que haviam registrado fortes ganhos nas últimas sessões. O índice Kospi da Bolsa de Seul caiu 0,7%, para fechar em 1.545,55 pontos, depois de três pregões seguidos de alta. Analistas acreditam que novas baixas serão registradas amanhã. Dentre as quedas, Hyundai Heavy Industries perdeu 2% e Hyundai Mipo Dockyard teve baixa de 2,8%. Contrariando a tendência do setor, Samsung Heavy Industries avançou 5,9%, depois de ter anunciado ganhos além dos esperados no primeiro trimestre. As produtoras de chips registraram queda, apesar da alta substancial do índice Philadelphia Semiconductor ontem. Samsung Electronics caiu 1,2%, mas Hynix Semiconductor teve aumento de 1,4%, em antecipação à divulgação de seus resultados do primeiro trimestre, programado para amanhã. Hyundai Engineering & Construction subiu 3,7%, apesar de os ganhos dos primeiros três meses do ano terem ficado abaixo do previsto. KT&G subiu 1,7%, depois de ter divulgado lucro operacional acima do esperado. KT Freetel, cujos números decepcionaram o mercado, caiu 0,3%. Já Lotte Shopping, que divulgou seus lucros do primeiro trimestre logo após o fechamento do mercado, caiu 0,6%. A Bolsa de Cingapura encerrou em leve queda, com os investidores à espera dos resultados trimestrais das empresas antes de tomarem novas posições. A expectativa é de que as companhias apresentem fortes ganhos, o que poderá levar o mercado a novas altas nas próximas sessões, disse um operador. Entre as blue chips que vão divulgar seus balanços esta semana estão Keppel Corp., Venture Corp., CapitaLand, Keppel Land e Chartered Semiconductor. O índice Straits Times caiu 11,84 pontos, ou 0,35%, e fechou em 3.362,68 pontos. Os papéis das empresas de transportes SMRT e ComfortDelgro caíram depois de o executivo-chefe da primeira, Saw Phaik Hwa, ter dito à imprensa local que não há necessidade de as duas companhias se fundirem, porque o sistema de transporte do país é eficiente e o preço, adequado. Rumores recentes de fusão das duas firmas fizeram o valor de suas ações subir. SMRT perdeu 2,7% e ComfortDelgro recuou 2,9%. Keppel Corp. ganhou 2% com as expectativas de que seu lucro no primeiro trimestre fique 20% superior ao de igual período de 2006. A companhia anuncia seus resultados quinta-feira após o fechamento do mercado. Bancos caíram devido a realizações de lucros: DBS perdeu 0,9%; OCBC recuou 1%. Singapore Airlines perdeu 0,5% devido à alta do preço do petróleo. Ganhos no setor de energia e expectativas de saudáveis lucros de companhias no primeiro trimestre levaram o mercado de Tailândia à alta. O índice SET da Bolsa de Bangcoc subiu 0,7% e fechou em 690,30 pontos. Segundo analista da KGI Securities, alguns operadores moveram as posições de seus fundos do setor bancário para o de energia. Entre os papéis mais ativos, Thai Oil subiu 3,2%; PTT ganhou 1%; PTT Exploration & Production avançou 1,7%. Siam Cement saltou 1,7% após divulgar lucro líquido melhor que o esperado no primeiro trimestre. O mercado filipino fechou em alta. O índice PSE Composto da Bolsa de Manila subiu 0,5% e fechou em 3.309,43 pontos, seguindo os bons resultados de ontem em Wall Street. Philippine Long Distance Telephone avançou 1,6%, após seus ADRs terem se valorizado ontem. Alta nos papéis da distribuidora de veículos Astra foi o principal condutor da elevação do índice JSX Composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia. O índice subiu 0,3% para fechar em 1.986,67 pontos. Astra avançou 2,1% por conta de expectativas de melhorias nas vendas de carros neste ano. A mineradora de carvão Bukit Asam, com alta de 2,6%, foi outra a levar o índice a fechar no positivo. A alta deve-se a previsões de fortes lucros no primeiro trimestre. Vendas de posições da mineradora de níquel Inco fizeram o papel recuar 3,7%, devido a negociações ex-dividendos. O índice composto de 100 blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur (Malásia) caiu 0,1%, e fechou em 1.315,97. A realização de lucros foi a ordem do dia, disse um operador. Declinaram Maybank (-1,6%) e Tenaga (0,8%). Entre as principais altas, Genting (+2,9%), GPA (+22,1%) e Satang Jaya (+3,3%). Na Bolsa da Índia, o índice Sensex recuou 0,3% e fechou em 14.094,43 pontos devido a realizações de lucros após o rali de ontem. Papéis do setor de tecnologia caíram com a alta da moeda local, a rúpia indiana: Infosys caiu 1,2%, Wipro perdeu 1,5%. State Bank ganhou 1,1% devido ao forte crescimento dos empréstimos depois de o banco central do país manter inalteradas as taxas de juros na reunião do comitê de política monetária ontem. O mercado australiano não funcionou nesta quarta-feira por ser feriado. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.