Xangai tem alta moderada, graças às blue chips

O principal índice da Bolsa de Xangai, na China, fechou com alta moderada, mas suficiente para levá-lo a mais um recorde de pontuação nesta sexta-feira. O índice Xangai Composto avançou 0,1%, para o recorde de 3.074,29 pontos. O Shenzhen Composto ganhou 1% e totalizou 816,92 pontos. A alta resultou principalmente da valorização de algumas blue chips, que acabaram compensando as realizações de lucros no setor financeiro. Ações de primeira linha subiram graças às perspectivas de crescimento das empresas, como a ferrovia Guangshen Railway, que disparou 9,3%. Daqin Railway teve alta de 1,3%. No setor financeiro, China Merchants Bank baixou 0,9%, Citic Securities caiu 2,7% e Bank of China caiu 0,8%. A recuperação do dólar nos mercados globais fez o yuan se desvalorizar, mas os operadores acreditam em uma rápida retomada de sua trajetória ascendente diante da moeda norte-americana. No sistema automático de preços, às 4h15 (hora de Brasília), o dólar subia para 7,7345 yuans, de 7,7260 yuans no fechamento de ontem. A paridade central aumentou para 7,7359 yuans por dólar, de 7,7310 yuans por dólar na quinta-feira. Declínio na cotação da peso-pesado China Mobile anulou altas nas empresas imobiliárias - Cheung Kong à frente -, fazendo o índice Hang Seng da Bolsa de Hong Kong fechar na quase estabilidade. O índice subiu apenas 2,39 pontos (0,01%), para 19.692,64 pontos. "O mercado está ainda preocupado com as incertezas, inclusive com o problema do segmento subprime dos EUA; mas, uma vez que o cenário fique mais claro, a tendência é de retomada", disse Castor Pang, estrategista da SHK Financial Ltd. China Mobile, a blue chip que tem o segundo maior peso no Hang Seng, caiu 1,9%, eliminando o efeito da alta de 0,5% de HSBC, o papel de maior peso no índice. O setor imobiliário também teve bom desempenho, liderado por Cheung Kong, que anunciou salto de 29% em seu lucro líquido em 2006. A ação valorizou-se 0,9% e sua afiliada Hutchison Whampoa subiu 0,6% após declarar que seus lucros no ano passado aumentaram 40%. Sun Hung Kai Properties teve alta de 0,9% e Henderson Land fechou valendo 0,3% mais que ontem. A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou em alta, apesar da cautela dos investidores antes da divulgação dos resultados corporativos do primeiro trimestre e das perspectivas das empresas para o segundo trimestre. O índice Taiwan Weighted subiu 0,5% e fechou aos 7.859,32 pontos, com os investidores buscando principalmente as ações de empresas com pouco peso na bolsa. Merry Electronics avançou 1,9%, Taiwan Chi Cheng Enterprise disparou 5% e Silitech Technology saltou 6,8%. Entre as baixas, Asustek Computer perdeu 3,9% e TSMC recuou 0,3%. Na Coréia do Sul, a Bolsa de Seul encerrou praticamente estável, com o índice Kospi recuando 0,1%, para 1.447,38 pontos. Os analistas prevêem que o índice pode testar sua marca histórica de 1.471 pontos na próxima semana. Os ganhos com as ações da LG Chem e das empresas de construção civil foram ofuscados pelas perdas com a Korea Electric Power Corp. e com a refinaria SK Corp. A refinaria, que ontem teve alta de 5,7%, caiu hoje 3%. Shinhan Financial Group perdeu 3,3% depois de ter avançado 10% nas últimas seis sessões. A Korea Electric Power Corp. ou Kepco, baixou 1,1%, devido principalmente à elevação dos preços do petróleo. LG Chem registrou alta de 4,3%, impulsionada pelas expectativas de aumento do lucro no primeiro trimestre. Pelo mesmo motivo, Samsung Engineering disparou 5,2%. O mercado australiano, assim como Wall Street, passa por um período de consolidação e teve um pregão relativamente fraco. O índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney declinou 0,1%, aos 5.952,30 pontos. As ações da Qantas caíram 3,1% depois que o fundo de investimentos Balanced Equity, dono de 4% da empresa, recusou uma oferta de compra da companhia aérea feita pela Airline Partner Austrália. A mineradora BHP Billiton teve queda de 0,2%, em meio à expectativa pela divulgação dos detalhes de seu plano de recompra de ações, num total de 3,25 bilhões de dólares australianos. Com a alta nos preços do petróleo, os papéis da Woodside Petroleum subiram 0,9%. Nas Filipinas, o índice PSE Composto da Bolsa de Manila registrou perda de 0,3%, fechando aos 3.170,05 pontos, pressionado pelas realizações de lucros. Philippine Long Distance Telephone (PLDT) declinou 1,2%, depois de subir 10% nas últimas três sessões. Ganhos nas blue chips dos setores bancário e de energia levaram a Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, a fechar em alta. O índice SET encerrou 0,4% acima de ontem, aos 677,79 pontos. "Mas os negócios estão fracos ainda, parcialmente porque os investidores estão preocupados com a situação política do país", disse um analista da SICCO Securities. Têm havido protestos contra os militares, o que demonstra o crescimento da insatisfação popular. Siam Commercial Bank subiu 2,9%; PTT Exploration & Production ganhou 0,6% e Krung Thai Bank alçou 0,8%. O índice Strait Times da Bolsa de Cingapura quebrou uma seqüência de quatro sessões de altas seguidas e fechou em baixa de 0,4%, aos 3.205,82 pontos, devido a realizações de lucros. "Os investidores estão ainda cautelosos, então estão obtendo algum ganho enquanto podem", disse um operador. Singapore Telecommunications perdeu 1,8%; Cosco Corp. caiu 1%; Jurong Technologies declinou 3,7%. Analistas disseram que os ganhos da Jurong Tech's podem ser afetados depois que seu principal cliente, a Motorola, disse que pode anunciar perdas no primeiro trimestre. O índice composto de 100 blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur (Malásia) fechou em alta de 1,1%, aos 1.235,65, com volume moderado de negócios liderados por compras de investidores estrangeiros, que buscaram ações de primeira linha, de firmas imobiliárias e de construtoras. Entre as principais altas, UEM World subiu 5,5%, Gamuda ganhou 2,6%, SP Setia avançou 2,6% e Bursa teve alta de 1,8%. O índice JSX da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, fechou em baixa de 0,2%, aos 1.805,96 pontos. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.