Yuan atinge recorde pós-valorização pelo 3º dia seguido

O yuan atingiu nova máxima pós-revalorização de 2005 pelo terceiro dia consecutivo, depois de o banco central fixar pela primeira vez a paridade central da moeda abaixo de 7,90 yuans por dólar. A paridade central foi fixada em 7,8998 yuans. No sistema automático de preços, o dólar fechou em queda a 7,8970 yuans, acima da mínima a 7,8962 yuans, mas abaixo do fechamento de ontem, a 7,9022 yuans. No mercado de balcão, o dólar era negociado a 7,8965 próximo às 4h30 (de Brasília), abaixo do fechamento anterior a 7,9020 yuans. O dólar foi negociado entre 7,9069 yuans na máxima e a 7,8954 yuans na mínima no mercado de balcão. O yuan está em tendência de alta desde 18 de setembro, pouco antes da visita do secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, à China. Desde esta data, o dólar caiu mais de 0,05000 yuans no mercado de balcão. O dólar anteriormente havia levado cerca de dois meses para registrar queda de tal magnitude. Operadores disseram não compreender o motivo pelo qual o banco central da China vem permitindo a rápida valorização da moeda mesmo depois de encerrada a visita de Paulson. Eles também questionam se as autoridades deixarão que a moeda continue subindo rapidamente para além desta semana. O mercado de câmbio permanecerá fechado a partir deste sábado até 8 de outubro para o feriado do Dia Nacional. Circularam rumores no mercado offshore NDF ("nondeliverable foward", futuro sem entrega), de que a China poderiam ampliar a banda do dólar/yuan neste final de semana. O United Overseas Bank comentou haver rumores de que a banda seria ampliada de 0,3% para 0,5%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.