10 passos para melhorar seu orçamento

Serviços como telefonia, internet, TV por assinatura e pessoais estão cada vez mais caros, mas segundo especialistas basta mudar o hábito para não pagar muito

Yolanda Fordelone, do Economia & Negócios,

17 de agosto de 2012 | 09h42

A inflação oficial do País, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indica preços ainda controlados, com alta de 5,2% em 12 meses. O grupo de serviços, porém, continua a pesar no bolso dos consumidores. Segundo especialistas, economizar nesses itens pode ser mais fácil do que se pensa: basta adquirir novos hábitos.

"É uma questão de atitude, de mudança de postura. O consumidor tem de pensar que ganhar dinheiro dá trabalho. Então é preciso valorizá-lo", resume o professor da Fipecafi, Silvio Paixão. "Os serviços estão muito caros, nunca se pagou tanto em telefonia", diz.

A má notícia é que o cenário de preços altos não deve mudar no curto prazo. "Enquanto a mobilidade social estiver intensa, com novos consumidores ascendendo socialmente e passando a adquirir novos serviços, o setor será impactado, pressionando a inflação", diz o professor de economia e finanças do Insper, Otto Nogami.

De dicas simples, como pesquisa de preços, a mais sofisticadas, como fazer a conta anual de gastos, os especialistas dão dicas de como começar a economizar nessa área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.