2011 tem sido ano desafiador, diz diretora da Pilgrim’s

Maior produtora de frango dos Estados Unidos afirmou não esperar lucro para a companhia no 4º trimestre deste ano

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

12 de dezembro de 2011 | 17h57

NOVA YORK - A diretora de Relações com Investidores da Pilgrim's Pride, Rosemary Geelan, afirmou nesta segunda-feira, 12, à Agência Estado não esperar lucro para a companhia no 4º trimestre. "Não esperamos de modo algum resultado positivo este ano.   Acreditamos que no 1º trimestre começaremos a ver uma reversão de 2011 e que estaremos mais fortes no 2º trimestre de 2012 ", avaliou. Por volta das 16h30, as ações da Pilgrim's Pride caíam 3,81%, a US$ 6,01 na New York Stocks Exchange (Nyse).

A Pilgrim é a maior produtora de frango dos Estados Unidos e tem como acionista majoritária a brasileira JBS, maior produtora de carne do  mundo. No terceiro trimestre, a Pilgrim's teve um prejuízo líquido de US$ 162,5 milhões ante lucro líquido de US$ 57,9 milhões no mesmo período do ano passado, por causa da queda no preço do frango e aumento dos custos de alimentação, puxado pelos preços do milho.

Geelan disse que 2011 tem sido um ano "desafiador" para a companhia, mas que espera que 2012 seja um ano melhor, com mais equilíbrio entre oferta e demanda.  "Certamente os preços de frango não estiveram no nível que esperávamos e os preços do milho ficaram bem acima do que foi antecipado", comentou.

"Para 2012, esperamos que o preço do milho continue alto, talvez não tão altos como agora, mas acreditamos que ele não irá cair de volta à faixa de US$ 3 por bushel. Isso não vai acontecer", acrescentou. Nesta tarde, a cotação do milho estava em US$ 5,7750 por bushel.

Já o preço do frango, segundo ela, deve ficar mais forte nos próximos trimestres, mas não fez estimativas. "A oferta do mercado está bem melhor gerenciada agora e há mais equilíbrio da demanda. Há mais exportações também de frango, o que deve nos ajudar também."

Oferta de ações

A Pilgrim's quer colocar suas finanças em ordem e, por isso, decidiu anunciar na semana passada uma oferta de ações para levantar ao redor de US$ 200 milhões. A JBS, o maior produtor de carne do mundo, comprou uma fatia majoritária da companhia em 2009. "Queremos colocar nosso balanço em ordem e um dos meios mais eficientes de fazer isso é por meio de infusão de capital", explicou hoje a  diretora de Relações com Investidores da companhia, Rosemary Geelan.  

Segundo a executiva, a finalização dessa oferta ocorrerá no primeiro trimestre de 2012, possivelmente no final de fevereiro. A data exata deve ser divulgada em janeiro. A companhia fará uma emissão de até 44,44 milhões de novas ações ordinárias. A JBS vai adquirir o número de ações a que tem direito e quaisquer ações restantes, explicou Geelan.

A executiva disse ainda que não há outras ações previstas para 2012 para levantar capital. "Não temos nada planejado para 2012, mas, ao mesmo tempo, se você tivesse me perguntado há um ano se havia planos de oferta em 2011 eu diria que não. As coisas mudam rápido."

Dívida

Geelan disse que a meta da companhia é reduzir sua dívida de longo prazo, atualmente de US$ 1,5 bilhão, para abaixo de US$ 1 bilhão até final de 2012. "Achamos que a oferta de ações é um bom meio de fazer isso. Nossa intenção é reduzir as dívidas com juros mais altos. Nossa dívida com a JBS, por exemplo, tem juros muito altos, de 9,75% no momento. Queremos nos livrar dessas dívidas", afirmou. Em meados deste ano, a JBS concedeu um empréstimo de US$ 50 milhões à Pilgrim's.

Tudo o que sabemos sobre:
Pilgrim'sfrangolucro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.