Abad: Profarma lidera ranking de faturamento em 2012

A distribuidora de produtos farmacêuticos Profarma, com sede no Rio de Janeiro, ultrapassou em faturamento a distribuidora mineira Martins na modalidade distribuição e entrega, que representa 83,6% do total do segmento atacadista distribuidor. De acordo com ranking da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (Abad)/Nielsen 2013, base 2012, a Profarma teve receita bruta de R$ 3,907 bilhões ante R$ 3,317 bilhões de 2011.

SUZANA INHESTA, Agencia Estado

29 de abril de 2013 | 16h04

Segundo a Abad, no ano passado, a empresa fortaleceu a atuação junto a clientes médios e pequenos, além de promover o crescimento em categorias de mais rentabilidade, como genéricos e perfumes. Também foram investidos R$ 11 milhões em aquisições de empresas.

A Martins, por sua vez, teve faturamento de R$ 3,812 bilhões em 2012 ante R$ 3,434 bilhões em 2011. A Tecidos e Armarinhos Miguel Bartolomeu S/A (Tambasa), de Minas Gerais, manteve o terceiro lugar, com receita bruta de R$ 1,560 bilhão, seguida da Megafort Distribuidora, também mineira, com R$ 1,153 bilhão, que continua na quarta colocação. A paranaense Gazin, distribuidora de eletro, participou pela primeira vez do ranking e ficou na quinta posição, com receita bruta de R$ 1,058 bilhão em 2012.

Por Estado, em São Paulo, o atacarejo, outra modalidade no ranking, o Makro manteve a liderança, com faturamento de R$ 6,773 bilhões em 2012 ante R$ 6,044 bilhões em 2011; seguido do Assaí, com receita bruta de R$ 5,078 bilhões ante R$ 4,288 bilhões de 2011. No Rio de Janeiro, a Profarma é a maior, seguida do Zamboni, que teve faturamento de R$ 873,735 milhões. Em Minas Gerais, a liderança segue com a Martins e, na sequência, a Tambasa.

O segmento atacadista e distribuidor teve faturamento de R$ 178,5 bilhões em 2012, alta real de 2,5%, deflacionado pelo IPCA. Em termos nominais, o avanço foi de 8,5%. O ranking Abad/Nielsen 2013 - base 2012 contou com 471 participantes, representativos de quase 40% do segmento.

Tudo o que sabemos sobre:
AbadProfamarMartinsfaturamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.