Abihpec discute tributação com secretário da Fazenda

Representantes do setor de cosméticos se reúnem nesta segunda-feira, 31, em Brasília, com o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Paulo Rogerio Caffarelli, para debater a cobrança do PIS e da Cofins sobre distribuidores e fabricantes de cosméticos. A reunião deve contar com a presença de grandes companhias como Natura e Avon, além do presidente da Associação Brasileira de Produtos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), João Carlos Basílio.

DAYANNE SOUSA, Agencia Estado

31 de março de 2014 | 17h13

As empresas esperam mostrar os impactos que a cobrança poderia ter no segmento. O governo prepara aumento da tributação para setores como cosméticos e bebidas frias na intenção de cobrir parte do custo adicional com a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). A cobrança do PIS e da Cofins no setor de cosméticos, feita hoje pelo fabricante, passará a ser de responsabilidade dos distribuidores, como apurou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

Analistas de mercado lembram que é prática comum entre as fabricantes vender seus produtos por meio de uma distribuidora relacionada a elas para reduzir a carga tributária. Em relatório recente, o JPMorgan afirmou que as empresas "vendem os produtos para suas distribuidoras saindo da indústria num valor mais baixo do que é vendido ao mercado, reduzindo a base de cálculo para PIS e Cofins". A mudança alteraria esta lógica. O banco calculou que alteração na tributação poderia afetar os resultados da Natura e concluiu que o Ebitda anual da empresa de cosméticos sofreria impacto negativo de 11% com a mudança.

Uma das preocupações das empresas apontada por analistas é a pequena capacidade que as companhias teriam para repassar a elevação de impostos a preços. De acordo com o Goldman Sachs, um aumento da carga tributária seria apenas parcialmente repassado a preços, já que existe elasticidade na demanda.

Tudo o que sabemos sobre:
AbihpecFazendareunião

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.