Abramat reduz projeção de crescimento de vendas em 2011 para 7%

Em março, as vendas internas de material de construção caíram 5,82% em relação a um ano antes

Fabiana Holtz, da Agência Estado,

20 de abril de 2011 | 10h13

Diante de resultados mais fracos que o esperado no trimestre e corte nas estimativas de crescimento do PIB brasileiro e da construção civil, a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) decidiu reduzir a previsão de crescimento nas vendas para 2011 de 9% para 7%.

Em nota, o presidente da entidade, Melvyn Fox, afirma que a revisão não significa que o desempenho será ruim, se for considerado que a indústria de materiais recuperou o desempenho do período pré-crise. "O setor continuará crescendo, mas em níveis que acompanharão o desenvolvimento da economia brasileira", observa Fox.

Em março, as vendas internas de material de construção caíram 5,82% em relação a um ano antes, segundo pesquisa mensal da Abramat, em razão do menor número de dias úteis no período com a interferência do feriado de carnaval. Ante fevereiro, entretanto, as vendas cresceram 4,12%. Ao mesmo tempo, no mês passado o número de empregados na indústria de materiais aumentou 7,09% na comparação com março de 2010 e 1,11% ante fevereiro.

Na análise por segmento, as vendas dos materiais de acabamento recuaram 2,84% em relação a março do ano passado, enquanto as de materiais de base caíram 7,29%. Ante fevereiro, as vendas da indústria de acabamento diminuíram 1,18% e as de materiais de base 7,11%.

No acumulado do trimestre, as vendas subiram 1,77% em relação ao mesmo período do ano anterior. No mesmo intervalo, as vendas no segmento de materiais básicos caíram 1,42%, enquanto a de produtos de acabamento cresceram 8,13%. Nos últimos 12 meses, o faturamento do setor cresceu 7,85% na comparação com os 12 meses anteriores. No comunicado, a entidade destaca que o mês de março do ano passado serve como base de comparação elevada, já que foi o melhor resultado do primeiro semestre de 2010. 

Tudo o que sabemos sobre:
AbramatPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.