Ação da Netflix despenca em meio a perda de assinantes

Papéis caem 35% depois de locadora virtual anunciar que perdeu 800 mil clientes nos EUA em um trimestre

Barbara Ortutay, Associated Press,

25 de outubro de 2011 | 23h00

As ações da Netflix caíram 35% nesta terça-feira, 25, depois que a antiga favorita de Wall Street revelou uma saída maciça de assinantes irritados com aumentos de preços e outras mudanças questionáveis no serviço de aluguel de DVDs por correio e filmes via internet.

A Netflix revelou na segunda-feira que encerrou setembro com 23,8 milhões de assinantes americanos. Isso representa uma queda de 800 mil em relação a junho e um desdobramento pior do que a companhia havia sugerido anteriormente. Em setembro, a empresa havia previsto que perderia cerca de 600 mil assinantes americanos. E a situação pode piorar. A Netflix disse que espera mais defecções nos próximos meses.

O êxodo começou depois que empresa elevou seus preços em até 60% em julho e dividiu seus serviços de aluguel de DVD e de streaming. Seu site foi inundado de comentários de clientes zangados. Muitas pessoas também cancelaram o serviço, especialmente o de DVD por correio.

A companhia está apostando seu futuro no streaming de vídeos, e o presidente Reed Hastings considerou provável que as assinaturas de DVD da Netflix diminuam continuamente como ocorreu com o serviço de internet por discagem da AOL.

Mas a Netflix criou um subproduto de seu serviço de DVD por correio, dando-lhe o nome Qwikster, e criando contas separadas para pessoas que queriam tanto DVDs como o streaming de filmes. Com isso, a empresa fez o que muitos perceberam como um processo de aluguel mais complicado numa companhia que começou sua ascensão meteórica com uma maneira nova e mais fácil de procurar e encontrar divertimento sem esforço.

Perda. As ações da Netflix caíram ontem US$ 41,47, para US$ 77,50. As ações estavam cotadas em mais US$ 300 há três meses e meio. A última vez que elas tiveram uma cotação tão baixa como a atual foi em abril de 2010, mas isso foi durante uma ascensão extraordinariamente acentuada depois que a companhia quase apagou as onipresentes fachadas de lojas azul e amarelo da Blockbuster.

As revelações da Netflix provocaram ontem um rebaixamento de "comprar" para "neutro" do analista Mark Mahaney da Citi Investiment Research, que também reduziu seu preço alvo da ação de US$ 220 para US$ 95. O analista chamou o aumento de preço e o plano abandonado de separar o negócio de DVD da Netflix de dois "grandes erros de execução".

A Netflix reportou resultados financeiros melhores que os esperados para o terceiro trimestre, mas isso foi neutralizado pelo alvoroço em torno de cancelamentos de assinaturas, controles de despesas e um benefício fiscal extraordinários, disse o analista Michael Pachter da Wedbush.

Patcher reduziu seu preço alvo para ações da Netflix de US$ 100 para US$ 82,50 e manteve sua recomendação em "Neutro". A Netflix disse que não comenta movimentos de ações. / TRADUÇÃO DE CELSO PACIORNIK

Tudo o que sabemos sobre:
netflixaçõesperdaassinantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.