Acionistas da Light retomam planos de oferta secundária

O BNDESPar, braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e a EDF International retomaram nesta quarta-feira os planos para uma oferta secundária de ações da Light, com o encaminhamento de um pedido à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

REUTERS

10 de junho de 2009 | 20h54

Em maio do ano passado, os mesmos dois sócios da empresa de energia tinham feito solicitação para a venda de até 47.669.304 ações ordinárias da Light, o que a preços de mercado da época equivaliam a uma operação ao redor de 1 bilhão de reais.

Porém, o agravamento da crise financeira global fez com que BNDESPar e EDF desistissem da venda das ações em setembro.

O comunicado ao mercado enviado nesta quarta-feira não especifica o número de ações da Light que os sócios pretendem se desfazer.

A oferta será realizada em mercado de balcão não organizado, no Brasil, para investidores brasileiros, incluindo esforços de colocação no exterior, segundo a empresa.

O preço de alienação das ações ordinárias será fixado após a finalização do procedimento de coleta de intenções de investimento (bookbuilding).

O BNDESPar possui 33,62 por cento do capital da Light, enquanto a EDF International detém 6,56 por cento das ações da empresa. O acionista majoritário da companhia é a Rio Minas Energia Participações, com pouco mais de 50 por cento.

As ações da Light encerraram a quarta-feira valendo 24,11 reais, em alta de 0,12 por cento.

(Reportagem de Cesar Bianconi)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIALIGHTOFERTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.