Ações da Gol disparam após 'independência' da Smiles

No primeiro dia de pregão depois do feriado de Natal, as ações da Gol tiveram alta recorde no ano. Isso porque, na sexta-feira à noite (21), a companhia anunciou que teve bons resultados em novembro e também que o programa de milhagem Smiles agora é uma empresa independente, que poderá ter ações negociadas em Bolsa.

LÍLIAN CUNHA, Agencia Estado

27 de dezembro de 2012 | 07h56

Com as notícias, os papéis da companhia dispararam 16% na quarta-feira (26). Graças a essa alta, a empresa conseguiu reverter uma perda no ano de 9,5%, acumulada até o fim da semana passada. Agora, a Gol passou a ter valorização de 4,9% em 2012. No mesmo período, o índice Bovespa ganhou 7,5%.

?O cenário mudou?, destacaram analistas do banco BTG, em relatório sobre a companhia divulgado na quarta-feira (26). Em novembro, a empresa diminuiu em 16,9% a oferta doméstica de assentos na comparação com o mesmo mês do ano passado. A redução ocorreu devido à oferta menor nas operações da Webjet - empresa comprada por R$ 70 milhões em julho de 2011. No mês passado, porém, a Gol decidiu encerrar as atividades da controlada.

No relatório de novembro, a Gol também divulgou que teve ocupação de 69,8% dos assentos, com crescimento de 5 pontos porcentuais em relação a novembro de 2011. O valor médio pago por passageiro a cada quilômetro voado (yield líquido consolidado) teve aumento de aproximadamente 8,5% na comparação com o mesmo período de 2011, ficando entre R$ 23,20 e R$ 23,60. A receita líquida de passageiro por quilômetro subiu 17% na comparação anual.

?A decisão de reduzir capacidade e aumentar a exposição a passageiros de negócios permitiu à companhia reportar um robusto crescimento?, disse o analista do UBS, Victor Mizusaki. Ele também ressaltou que os bons números da Gol são resultado da nova administração. Desde junho, Paulo Kakinoff, ex-presidente da Audi do Brasil, assumiu o comando executivo da companhia no lugar de Constantino de Oliveira Júnior, dono da companhia de aviação.

Seguindo uma estratégia adotada pela rival TAM em 2010, a Gol divulgou que estuda ?a possibilidade de realizar uma oferta pública inicial de ações da Smiles, sem que haja qualquer estimativa ou previsão para a conclusão dessas análises?.

Na sexta, a empresa divulgou que o Smiles, que até agora era administrado pela VRG Linhas Aéreas S.A. (a holding que controla as empresas VRG Linhas Aéreas S.A. e o grupo Gol), agora passa a ser a Smiles S.A., sociedade recentemente constituída e controlada pela companhia. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
GolaçõesSmiles

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.