Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ações nos EUA caem antes de votação sobre dívida

As principais bolsas de valores dos Estados Unidos recuaram nesta quinta-feira, com investidores céticos de que a votação no Congresso acabará com o impasse sobre um acordo para evitar um default da dívida norte-americana.

CAROLINE VALETKEVITCH, REUTERS

28 de julho de 2011 | 18h11

O Dow Jones encerrou em baixa de 0,51 por cento, a 12.240 pontos. O Standard & Poor's 500 cedeu 0,32 por cento, a 1.300 pontos. A Nasdaq teve valorização de 0,05 por cento, a 2.766 pontos.

O S&P 500 recuou pela quarta sessão consecutiva, com a ala compradora na defensiva enquanto formuladores de políticas dos EUA tentavam chegar a um acordo sobre o déficit.

Um voto sobre um plano dos republicanos de elevar o limite da dívida na Câmara dos Deputados era esperado após o fechamento do mercado nesta quinta-feira. O Senado, controlado pelos democratas, está projetando um plano diferente, e líderes democratas afirmaram que o plano da Câmara dos Deputados será derrotado no Senado.

"Durante o dia, ficou claro que mesmo se (o presidente da Câmara) Boehner, conseguir o voto, o plano será rejeitado ao ser encaminhado para o Senado. Essa parece ser a razão para a força das vendas", disse Quincy Krosby, estrategista de mercado na Prudential Financial, em Nova Jersey.

Analistas afirmaram que a discordância entre formuladores de políticas também deixou investidores incertos de que um acordo pode ocorrer.

A disputa sobre o déficit dos EUA aumentou a volatilidade dp mercado com a queda de ações. O S&P acumula desvalorização de 3,3 por cento na semana e o termômetro do nervosismo no mercado, o índice CBOE, subiu para mais de 23 pontos, maior patamar desde meados de junho.

Ações se valorizaram mais cedo com a divulgação de uma queda nos pedidos de auxílio desemprego e fortes dados sobre vendas pendentes de moradias nos EUA, um dia após o S&P 500 registrar sua maior queda em oito semanas.

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.