Ações nos EUA sobem com 'gostosuras' de Halloween do Fed

As bolsas de valores dos EstadosUnidos fecharam em forte alta nesta quarta-feira, impulsionadaspelo corte da taxa básica de juro pelo Federal Reserve e suavisão de que as tensões no mercado de crédito diminuíram. Também ajudaram na valorização do dia relatórios mostrandouma surpreendente força do crescimento econômico e do emprego. O índice Dow Jones teve alta de 1,00 por cento, a 13.930pontos. O Standard & Poor's 500 subiu 1,20 por cento, a 1.549pontos. Já o Nasdaq fechou com valorização de 1,51 por cento, a2.859 pontos, depois de ter atingido durante o dia 2.861 --seumaior nível em 7 anos. Um aumento nos preços do ouro e do petróleo levou para cimaas ações de mineradoras e de empresas do setor energético,enquanto o Nasdaq era impulsionado pelas ações de tecnologia,como o Google . Esses papéis bateram a marca dos 700 dólarespela primeira vez após anunciar que poderá em breve invadir omercado de telefonia. A bolsa iniciou a sessão em queda, mas retomou os ganhosdepois que o Fed cortou sua taxa básica de juro em 0,25 pontopercentual para 4,50 por cento, como era esperado. Mesmo com obanco central sinalizando que mais cortes nos juros não sãogarantidos, investidores se animaram com a visão de que aeconomia está, por ora, no trilho do crescimento. "Eu acho que o essencial é que a economia estárelativamente forte", e dados do Produto Interno Bruto apoiaramesta visão, disse Giri Cherukuri, chefe de operações noOakBrook Investments LLC em Illinois. "Parece que este será o último corte por algum tempo, o quenão é bom para as bolsas. Mas, por outro lado, se a economiaestá indo bem, isso significa que os lucros corporativos devemestar indo bem", acrescentou. No mês de outubro, o Dow acumulou alta de 0,3 por cento, oS&P teve alta de 1,5 por cento e o Nasdaq decolou 5,8 porcento, seu maior ganho mensal percentual em cerca de dois anos. (Por Caroline Valetkevitch)

REUTERS

31 de outubro de 2007 | 19h58

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.