Acordo sobre Grécia precisa ser fechado hoje para evitar calote, diz Dinamarca

Para a primeira-ministra do país, pacote precisa incluir recapitalização de bancos, fortalecimento de fundo de estabilidade e acordo sobre as perdas com as quais os bancos devem arcar

Álvaro Campos, da Agência Estado,

26 de outubro de 2011 | 14h48

A primeira-ministra da Dinamarca, Helle Thorning-Schmidt, disse nesta quarta-feira, 26, que os líderes da zona do euro precisam mostrar determinação e chegar a um acordo sobre um abrangente pacote para evitar um default da Grécia e estabelecer uma base sólida para o futuro da Europa.

"Hoje é um dia muito importante, que será significativo para o futuro da Europa. Se nós queremos evitar um default da Grécia, nós precisamos que a zona do euro e os bancos cheguem a uma solução nesta noite (no horário local)", disse ela antes da cúpula da União Europeia, em Bruxelas (Bélgica).

Segundo declarações da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, entre os tópicos que estão sendo discutidos está um desconto no valor dos bônus gregos (haircut) detido por credores privados de não menos de 50%. A maior parte desses bônus está nas mãos de bancos europeus e um forte haircut tornaria necessária a recapitalização dessas instituições - o que também está sendo discutido pelos líderes europeus.

"Os bancos e os investidores privados precisam contribuir com essa solução", disse Thorning-Schmidt. "Não há dúvidas de que o pacote precisa incluir três grandes elementos: a recapitalização dos bancos europeus, o fortalecimento da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês), e um acordo sobre o tamanho das perdas com as quais os bancos europeus devem arcar, e quais garantias eles precisam em troca".

A Dinamarca não faz parte da zona do euro, mas a primeira-ministra disse que o país vai contribui com a implementação das medidas citadas. "A Dinamarca vai arcar com a sua parte do pacote. Nós esperamos que os 17 membros da zona do euro e os bancos cheguem a uma solução. Eles precisam conseguir isso nesta noite", disse ela, acrescentando que está "cautelosamente otimista" que o acordo será atingido.

A Dinamarca assume a presidência rotativa da UE no dia 1º de janeiro do ano que vem.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dinamarcapacoteacordogréciacaloteue

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.