Açúcar: OIA prevê déficit na produção mundial de 1,8 mi/t em 04/05

São Paulo, 12 - A produção mundial de açúcar durante a safra 2004/05 deverá ficar 1,816 milhão de toneladas abaixo do consumo do período, segundo estimativa da Organização Internacional do Açúcar (OIA), que consta no relatório trimestral da entidade divulgado hoje. A produção foi estimada em 146,076 milhões de toneladas, aumento de 2,292 milhões de t em comparação com a safra 2003/04. A entidade avalia que os estoques mundiais de açúcar vão diminuir 2,577 milhões de toneladas para cobrir o déficit de produção e o aumento do consumo. A OIA diz estar confiante que a expansão da safra de cana no Brasil fornecerá material suficiente para o crescimento da produção e das exportações de açúcar em 2004/05, apesar do aumento do uso da cana para fabricação de etanol. A maior parte do déficit estará ligada à quebra de safra da Índia e os exportadores vão enfrentar uma severa falta de espaço nas origens se o país não importar tanto açúcar quanto está previsto, diz a entidade. Quanto aos preços a OIA avalia que não há espaço para aumentos significativos porque o mercado estará bem ofertado. "A dinâmica dos preços depois do primeiro trimestre de 2005 vai depender do tamanho da produção do Brasil na próxima safra e o volume de cana alocado para a produção de etanol", diz a OIA. As informações são da Dow Jones. Oferta e demanda mundial de açúcar - em milhões de t-----------------------------------------------------Variação2004/05 2003/04 em t em %-----------------------------------------------------Produção 146,076 143,784 +2,292 1,60Consumo 147,892 144,859 +3,033 2,09Excesso/Déficit -1,816 -1,075 -0,741 68,90Importações 42,882 40,758 +2,124 5,20Exportações 43,643 41,607 +2,036 4,90Estoques finais 61,402 63,979 -2,577 -4,00-----------------------------------------------------Parcela do consumo coberta pelos estoques41% 44%-----------------------------------------------------

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.