Administrador da Celpa vai pedir que Equatorial formalize interesse

O administrador judicial da Celpa irá pedir à juíza responsável pelo processo de recuperação judicial da distribuidora paraense que intime a Equatorial Energia a formalizar a entrada na companhia, depois que a órgão regulador do setor elétrico aprovou parcialmente o plano de transição da empresa do Grupo Rede Energia.

Reuters

18 de setembro de 2012 | 18h09

"Amanhã (quarta-feira) eu vou pedir para a juíza intimar a Equatorial a formalizar o interesse no negócio em um prazo de 3 dias", disse nesta terça-feira o administrador Mauro Santos, à Reuters, por telefone.

Ele acrescentou que a entrada de um investidor tem que ser formalizada até 15 de outubro. Esse é o prazo de validade da aprovação do plano de recuperação pelos credores da Celpa, conforme assembleia em 1o de setembro.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira o plano de transição do controle da Celpa, de forma parcial --não acatando a todos os pedidos da Equatorial Energia. O plano pode, inclusive, ser adotado por outra empresa que eventualmente venha a adquirir a distribuidora paraense, e não apenas pela Equatorial.

Santos disse que a J&F, holding controladora do frigorífico JBS que já manifestou o interesse da Celpa, está bastante interessada em assumir a distribuidora do Grupo Rede e que, inclusive, não condicionava a entrada na empresa à aprovação do plano de transição pela Aneel.

O administrador judicial quer que a Equatorial se posicione com agilidade. Caso a empresa resolva desistir do negócio, a Justiça terá que convocar uma nova assembleia com credores --com mínimo de 15 dias de antecedência-- para considerar a entrada da J&F ou qualquer outro potencial interessado.

A Equatorial ainda não havia retornado pedido por comentários sobre a aprovação do plano de transição pela Aneel até o fim da tarde desta terça-feira.

(Por Anna Flávia Rochas)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIACELPAADMINISTRADOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.