Adubo: China taxa exportações de uréia para garantir abastecimento

São Paulo, 20 - A China anunciou hoje que criará uma taxa sobre as exportações de uréia a partir de 1º de janeiro, que deverá durar três meses. O objetivo é reduzir as exportações e garantir o suprimento doméstico da matéria-prima, fundamental para a produção de fertilizantes. O governo chinês quer garantir o produtor para o período de plantio durante a primavera. Segundo a Dow Jones, ainda não foi divulgada o valor da taxa. O site da China Chemical Fertilizer Information aponta que a tarifa poderia ser de 260 yuans para cada tonelada exportada. Há um aumento de demanda por fertilizantes no país devido ao estímulo do governo chinês para ampliar a produção agrícola no país. A China exportou 2,61 milhões de toneladas de uréia nos primeiros 10 meses do ano, um aumento de 52,62% em relação ao mesmo período do ano passado. O preço médio de 2004 foi de US$ 177,41/t. Alguns analistas apontam que os produtores de fertilizantes correram para fechar contratos de exportação antes do início da taxação, o que ampliou as vendas. Em 2004, a expectativa é de que as vendas de uréia pela China aumentem 18,5%, batendo nos 3,2 milhões de t.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.