Aftosa: Ministério diz que Bolívia não fechou fronteira com Brasil

Brasília, 24 - A assessoria de imprensa do Ministério da Agricultura informou hoje que a Bolívia não fechou a fronteira com o Brasil em razão do foco de febre aftosa detectado no início do mês no município de Careiro da Várzea, no Amazonas. Em ofício enviado esta semana ao ministério, o Serviço Nacional de Sanidade Agropecuária e Inocuidade Alimentar (Senasag) boliviano nega que tenha proibido a entrada de animais, produtos e subprodutos brasileiros naquele território. "O comércio entre os dois países segue normalmente", informou o governo da Bolívia, de acordo com a assessoria. "As notícias divulgadas pela imprensa não refletem a posição deste serviço", informa o documento encaminhado ao secretário de Defesa Agropecuária do ministério, Maçao Tadano. No texto, o governo boliviano garante que jamais impediu o trânsito de animais procedentes do Brasil no Departamento de Pando ou em qualquer outro ponto da fronteira entre os dois países. As autoridades sanitárias da Bolívia afirmam ainda que têm conhecimento das ações adotadas pelo Brasil para erradicar o foco de aftosa em Careiro da Várzea, que está sob sistema de alerta sanitário e análise de risco. O governo do Amazonas e o Mapa montaram seis barreiras fluviais e uma rodoviária, na BR-319, para impedir o trânsito de animais do município e cidades próximas para outras áreas do estado e da Região Norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.