Aftosa: MS isola e faz teste em 50 animais na divisa com Paraguai

São Paulo, 22 - A Secretaria de Agricultura do Estado do Mato Grosso do Sul está mantendo 50 bois de uma fazenda em Paranhos, divisa com Paraguai, isolados, com suspeita de aftosa. Segundo o secretário de agricultura do MS, Dagoberto Nogueira Filho, os exames preliminares indicaram a presença de aftosa nos animais. "Mas os animais foram vacinados contra aftosa em novembro, o que torna possível este resultado mesmo sem que estejam contaminados", disse. O caso vem se desenrolando há cerca de 30 dias. Um novo exame foi realizado nesta semana e o resultado sai em cerca de 20 dias. Segundo Nogueira, o exame nos animais foi feito a partir de uma denúncia recebida pelo Iagro, a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal. "Os animais não estão apresentando nenhuma sintomatologia, o que indica que o resultado positivo foi mesmo decorrente da vacinação", disse. A fazenda onde estavam os animais se estende pelos dois lados da fronteira, conforme Dagoberto, mas a sede está no Brasil e os animais que estariam contaminados, também. "A fazenda tem 25 hectares de terra no Brasil e mais de mil hectares no Paraguai", disse. Segundo o secretário, os animais não foram abatidos e estão isolados. "Também há suspeita de contrabando destes animais. Nada está muito claro", disse. Se ficar provado que são oriundos do Paraguai, serão abatidos, mesmo que não estejam contaminados.

Agencia Estado,

22 de dezembro de 2004 | 16h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.