Agrícolas pesam e IGP-M tem maior alta desde 2004

Índice se comporta como o esperado e sobe 1,29% em setembro, puxado pela alta de preços no atacado

Renato Andrade, da Reuters,

27 de setembro de 2007 | 09h31

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) seguiu à risca o comportamento esperado pelo mercado, acelerando e fechando o mês em alta de 1,29%, maior ganho desde julho de 2004, mostraram dados divulgados nesta quinta-feira, 27, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).   Analistas consultados pela Reuters esperavam que o indicador subisse 1,2% em setembro, depois de ter avançado 0,98% em agosto. Pelos cálculos do mercado, a pressão viria dos custos agrícolas no atacado. Foi o que aconteceu.   O Índice de Preços por Atacado (IPA) registrou alta de 1,83%, depois do avanço de 1,31% no mês anterior. O segmento de matérias-primas brutas saltou 5,85% em setembro, ante 4,26% no mês anterior.   O aumento dos custos de soja e milho em grãos e cana-de-açúcar explicam em boa medida essa aceleração, segundo informou a FGV em comunicado.   Por outro lado, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,21%, uma desaceleração frente ao ganho de 0,39% em agosto.   O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, registrou um aumento de 0,39%, levemente acima do ganho de 0,35% no mês anterior.   No ano, o IGP-M acumula alta de 4,07%. Nos últimos 12 meses, o avanço foi de 5,67%.  

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoIGP-M

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.