Agronegócio: soja, carnes, açúcar e álcool puxam superávit

Brasília, 8 - O Ministério da Agricultura informou que o crescimento de 29,5% no faturamento obtido com as exportações de produtos agrícolas no acumulado do ano até outubro é resultado do desempenho dos embarques de produtos do complexo soja; carnes; madeiras; açúcar e álcool; cereais, farinhas e preparações; e café, chá, mate e especiarias. A análise por grupos mostra que as exportações do complexo soja renderam US$ 9,299 bilhões entre janeiro e outubro, 29,1% acima dos US$ 7,205 bilhões em igual período de 2003. Os embarques de carnes cresceram 55,7% em valor no acumulado do ano, de US$ 2,928 bilhões em 2003 para US$ 4,561 bilhões neste ano. Para esse grupo, o governo destacou o crescimento de 78,3% no valor das exportações de carne bovina "in natura" e de 48,7% de frango "in natura". Além do aumento dos volumes embarcados, o aumento dos preços médios de exportação justifica parte da alta, avaliou o ministério. Os preços médios de exportação da carne bovina "in natura" cresceram 19% no acumulado do ano. Também aumentaram as cotações do frango "in natura" (18,2%) e da carne suína (36,3%). No grupo de açúcar e álcool, as exportações até outubro renderam US$ 2,51 bilhões, aumento de 36,5% em relação ao US$ 1,838 bilhão em igual período de 2003. As vendas de cereais, farinhas e preparações cresceram 129%, de US$ 390,860 milhões no acumulado de 2003 para US$ 895,014 milhões neste ano. As vendas do grupo que inclui café, chá, mate e especiarias renderam US$ 1,479 bilhão ao País, contra US$ 1,145 bilhão entre janeiro e outubro de 2003, crescimento de 29,1%. O ministério informou que entre janeiro e outubro cresceram os embarques de produtos agrícolas para os principais destinos: Mercosul (20,5%), União Européia (22,1%), Ásia, excluindo o Oriente Médio, (40,9%), Oriente Médio (45,8%) e África (49,4%). No período, a União Européia absorveu 34,6% das exportações totais do agronegócio, que somaram US$ 33,054 bilhões. A participação da Ásia no bolo de 18,8%, em 2003, para 20,4% em 2004. Em outubro, as exportações agrícolas somaram US$ 3,191 bilhões, crescimento de 1,1% em relação ao mesmo mês de 2003, quando os embarques somaram US$ 3,155 bilhões. O resultado de outubro é recorde para o mês. Os gastos com importações foram 5% inferiores, somando US$ 414 milhões. Com base nos números, o Ministério da Agricultura informou que o superávit da balança comercial do agronegócio somou US$ 2,777 bilhões em outubro, 2,1% acima do resultado de US$ 2,719 bilhões no mesmo mês de 2003. O saldo é recorde para o mês. Em outubro, os embarques do complexo soja renderam US$ 570,255 milhões, 36,3% abaixo do valor registrado em outubro de 2003 (US$ 894,954 milhões). As maiores quedas ocorreram nos embarques de soja em grãos (-56,4%) e de óleo de soja bruto (-65,4%). Os embarques de farelo de soja diminuíram 0,5%, resultado de recuo de 2,9% no volume embarcado e de aumento de 2,4% nos preços médios de venda. "O desempenho das exportações de soja no mês de outubro deve caracterizar todo o quarto trimestre de 2004 e reflete, entre outros fatores, a queda dos preços internacionais e domésticos e conseqüente redução das margens de rentabilidade das indústrias de esmagamento, associada à demanda externa limitada", avaliou o ministério. De acordo com técnicos da Secretaria de Produção e Comercialização da pasta, o ritmo lento de comercialização da safra 2003/04 no último trimestre do ano deve resultar em elevados estoques de passagem para 2005. O governo cita números da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), que projeta receita de US$ 10,1 bilhões com as exportações, abaixo das estimativas anteriores, que indicam o faturamento de até US$ 10,5 bilhões com os embarques.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.