AIG e Wal-Mart derrubam Wall Street

As bolsas norte-americanas fecharamem forte queda nesta quinta-feira, após grandes perdas daseguradora American Internacional Group alimentarem temores demais problemas com a crise de crédito e as previsões de vendasdo Wal-Mart acrescentarem mais preocupação sobre os gastos dosconsumidores. Segundo dados preliminares, o índice Dow Jones teve fortebaixa de 1,93 por cento, a 11.431 pontos. O Standard & Poor's500 caiu 1,79 por cento, a 1.266 pontos. O Nasdaq recuou 0,95por cento, a 2.355 pontos. O humor do setor financeiro foi definido após a AIG a maiorseguradora do mundo, divulgar seu terceiro prejuízo trimestralconsecutivo de mais de 5 bilhões de dólares, registrando fortesbaixas contábeis ligadas a investimentos hipotecários. As açõesda AIG tiveram seu pior dia em mais de duas décadas. O Citigroup deu mais tensão ao setor financeiro após obanco acertar a recompra de mais de 7 bilhões de dólares depapéis sem liquidez. As ações da American Express caíram após aMoody's rebaixar a avaliação de companhia de cartões decrédito. Preocupações com o consumidor foram colocadas em evidênciaapós o Wal-Mart reportar desapontantes resultados de vendas dejulho com compradores gastando todo suas restituições deimpostos, atingindo as esperanças para as compras da atualtemporada de voltas às aulas. "Hoje estamos enfrentando diversos relatórios que apontambons sinais para as ações. A AIG ainda está no núcleo datempestade e você tem o Wal-Mart e os pedidos deauxílio-desemprego, que se somam a falta de entusiasmo para asações", disse Steve Goldman, estrategista de mercado da Weeden& Co.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.